Futebol/Copa Sul-americana - ( )

Ponte ofusca feito de Ceni, gol de Ganso e Luis Fabiano no banco

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Não fossem os três gols da Ponte Preta e a consequente derrota por 3 a 1, a partida desta quarta-feira poderia ter tido outros destaques no São Paulo. Mas a virada ofuscou pontos positivos no Morumbi, como o recorde histórico de Rogério Ceni e o belo gol de Paulo Henrique Ganso.

O goleiro são-paulino se igualou ao ex-santista Pelé em número de jogos em sequência por um mesmo time brasileiro: 1.116. Mas, no fim, não houve motivo para comemorar. A própria diretoria do clube havia decidido não preparar nenhuma homenagem por conta da importância da partida, válida pela semifinal da Copa Sul-americana.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Ganso fez o único gol do São Paulo no dia em que Aloísio deixou Luis Fabiano no banco de reservas e Rogério Ceni igualou recorde que pertencia a Pelé
Partida que começou boa para a equipe da casa. Aos 20 minutos, Ganso recebeu passe na entrada da área, limpou a marcação ao ajeitar o chute para a perna direita e bateu rasteiro. A bola saiu do alcance do goleiro Roberto e tocou a trave esquerda antes de ir para a rede e levantar as 53.302 pessoas que pagaram ingresso.

O meia comemorou efusivamente, saindo até do seu estilo. O que tem ocorrido com maior frequência, à medida que ele ganha confiança e a crítica, restando pouco tempo para a convocação definitiva de Luiz Felipe Scolari para a Copa do Mundo de 2014. O gol poderia tê-lo transformado em manchete, mas não foi assim.

No início do segundo tempo, a Ponte já estava à frente no placar, o que levou a torcida a gritar o nome de Luis Fabiano. Pela primeira vez desde 2001, ano de sua primeira passagem pelo clube, o atacante começou no banco de reservas. E o técnico Muricy Ramalho atendeu aos pedidos que vinham da arquibancada, mas já era tarde.

Embora o atacante tenha mostrado mais serviço do que Aloísio - com pelo menos um cabeceio acima do travessão e dois chutes de difícil defesa -, o jogo já estava perdido. E não só pela diferença mínima. Depois de ter virado graças a Antônio Carlos (contra) e Leonardo), a Ponte ainda marcou mais um gol, com Uendel, para fechar o placar.

A torcida ponte-pretana, presente em bom número ao estádio, não deixou por menos. Fez muita festa durante o jogo todo também, roubando a festa que poderia ter sido de Ceni, com regência de Ganso e aparição surpresa de Luis Fabiano.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade