Atletismo/São Silvestrinha - ( - Atualizado )

Com 90 atletas, Brasil Vale Ouro domina pódios da São Silvestrinha

Yan Resende* e Marcos Guedes São Paulo (SP)

As camisetas verdes do Projeto Brasil Vale Ouro dominaram a premiação da São Silvestrinha na manhã deste sábado, no Estádio Ícaro de Castro Melo, no Ibirapuera, em São Paulo. Com 90 atletas espalhados pela maioria das baterias, a iniciativa que conta com crianças e jovens de sete locais diferentes do país foi o grande destaque da 20ª edição do evento que já revelou Franck Caldeira e Carlos Chinin para o atletismo brasileiro.

Nas quatro provas de maior destaque da São Silvestrinha, a equipe só não ocupou o lugar mais alto do pódio nos 600m masculino, que conta com adolescentes de 15 anos. Na prova feminina, no entanto, a carioca Estefani de Jesus garantiu o primeiro lugar. Já nos 400m, para 14 anos, o domínio foi absoluto. Entre os meninos, Paulo Henrique de Santana foi o vencedor, enquanto Letícia Silva Castro liderou entre as garotas.

O projeto que une educação e esporte é espalhado pelo país através de Estações de Conhecimento. Desta forma, a delegação presente no estádio do Ibirapuera neste sábado contou com atletas de seis localidades diferentes: Vale do Jequitinhonha-MG, Brumadinho-MG, Rio de Janeiro, Serra-ES, Arari-MA e Tucumã-PA.

Djalma Vassão/Gazeta Press
A carioca Stefani (ao centro), de 15 anos, foi uma das vencedoras da delegação do Brasil Vale Ouro neste sábado
Os atletas que chegam à São Silvestrinha, portanto, passam por uma seleção em sua cidade natal antes de competir na capital paulista. “Cada Estação Conhecimento realizou uma série de testes em sua cidade para ter os melhores. Então, na São Silvestrinha, estamos com os melhores de cada categoria”, explicou o professor Felipe Carvalho, responsável pela delegação de Serra-ES.

“Como esse evento tem um caráter muito mais festivo, isso é o fechamento de um ano, com muito mais estimulo, já que para muitos é a primeira viagem fora do estado. É uma boa experiência para preparar essas crianças para um futuro, quem sabe, internacional”, completou o orientador capixaba.

Confira os resultados da edição 2013 da São Silvestrinha

O professor, apesar de alguns resultados individuais expressivos neste sábado, preferiu não apontar promessas do projeto, pois acredita que todos os alunos tem potencial para brilhar no atletismo brasileiro. “Não temos uma grande aposta, temos inúmeras apostas. Ainda é muito cedo para não acreditar em nenhum resultado ou supervalorizar um resultado. Podemos esperar de tudo dos nossos alunos”, finalizou Felipe.

*Especial para GE.net

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade