Atletismo/São Silvestrinha - ( )

Escolas aliam educação e esporte para levar caravanas ao Ibirapuera

Yan Resende* e Marcos Guedes São Paulo (SP)

Enquanto alguns atletas se preparavam para chegar ao lugar mais alto do pódio, outros tinham um intuito diferente durante a realização da 20ª edição da São Silvestrinha, neste sábado. Antes de pensar na primeira colocação, escolas formaram caravanas que tomaram as arquibancadas do Estádio Ícaro de Castro Melo com o intuito de usar o esporte como instrumento para melhorar a educação.

Ainda longe já era possível avistar a delegação de Itararé, já que o uniforme verde-limão se destacava. O projeto do sistema de ensino da cidade do interior paulista estimula o conhecimento através da prática de esporte, selecionando 26 alunos de quatro escolas estaduais do município. Em outras edições, a equipe chegou a ter quase 50 atletas, mas, apesar de um número menor, a caravana também contou com adolescentes de Itapeva no evento de 2013.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Destaque da equipe de Itararé, o jovem Paulo Vinícius, de 12 anos, venceu sua bateria com folga na São Silvestrinha
Ao lado de Fábio de Lima e Silvana Genaro, Guilherme Gorski é um dos responsáveis por trazer crianças e adolescentes para a capital paulista. De acordo com o professor, o governo do Estado, por se tratar de uma iniciativa educacional, fica responsável por alimentação e transporte. Os alunos também se mobilizam em busca de patrocínio para os materiais esportivos, como a chamativa camisa verde-limão.

O projeto foi criado há dois anos no município de Itararé e o nome deixa evidente o principal objetivo da iniciativa. “Saber correr para correr pelo saber” foi um dos meios encontrados pelo sistema de ensino do interior paulista para atrair crianças e adolescentes.

A prioridade por educar seus alunos, no entanto, não afasta o incentivo por bons resultados. Sendo assim, alguns jovens atletas surgem como promessas para o atletismo brasileiro. Apontado como destaque pelos professores, o jovem Paulo Vinícius, de 12 anos, já havia vencido a seletiva estadual anteriormente e não decepcionou na São Silvestrinha. Com folga, o garoto conquistou a primeira colocação em sua categoria.

*Especial para a GE.net

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade