Atletismo/São Silvestre - ( - Atualizado )

Filho de campeão da SS-1963 contém lágrimas após completar prova

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

Filho do belga Henri Clerckx, campeão da edição de 1963 da Corrida Internacional de São Silvestre, Kris Clerckx veio a São Paulo especialmente para disputar a prova realizada na manhã desta terça-feira. Emocionado, o escritor e jornalista precisou conter as lágrimas ao completar o percurso.

“Se você comparar minha performance com a do meu pai ou com as dos vencedores, eu não fui bem. Para quem compete pela vitória, essa corrida é extremamente difícil. Mas o importante foi estar aqui em homenagem ao meu pai. Foi emocionante”, disse Kris, interrompendo o próprio discurso para conter as lágrimas.

O escritor e jornalista concedeu entrevista enrolado na bandeira da Bélgica, país que dominou a São Silvestre na década de 1960. Depois do triunfo de Clerckx, Gaston Roelants conquistou as edições de 1964, 1965, 1967 e 1968 – Lucien Theys já havia vencido em 1950.

A vitória de 1963, além de colocar Henri Clerckx como candidato ao pódio nos 10.000m dos Jogos Olímpicos de Tóquio-1964, transformou-o em uma estrela de seu país, a ponto de render um convite para um encontro com o então Príncipe Alberto, posteriormente Rei Alberto II, no Palácio Real de Bruxelas.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Kris Clerckx (d), filho de Henri Clerckx, campeão da SS-1963, correu a prova de 2013 como tributo ao pai
Vitimado por um acidente de carro em 1967, ele foi obrigado a encerrar a carreira de forma precoce e faleceu em 1985, quando seu filho era apenas uma criança. Cinquenta anos depois do triunfo do pai na São Silvestre, Kris fez questão de disputar a corrida como tributo ao atleta.

“Os primeiros quilômetros foram duros, mas depois encontrei um bom ritmo. Sofri um pouco com o calor e as subidas. O ambiente é muito bom, os outros corredores e o público são animados, o que me deu forças para seguir. Estou contente de poder ter completato a São Silvestre. Foi uma grande experiência”, declarou.

A participação do filho de Henri Clerckx na prova foi registrada por um cinegrafista da RTBF, canal de televisão pública da Bélgica, e integrará um documentário sobre cidadãos do país europeu em São Paulo. A viagem do jornalista ao Brasil deve posteriormente ser retratada em um livro.

A Bélgica integra o Grupo H da Copa do Mundo de 2014, ao lado de Argélia, Rússia e Coreia do Sul, e enfrentará a equipe asiática no Itaquerão, no dia 26 de junho. Apelidada de Diabos Vermelhos, a seleção escolheu Mogi das Cruzes, a aproximadamente 60km de São Paulo, como base durante a competição.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade