Corrida Internacional de São Silvestre - ( - Atualizado )

Jaciel confirma favoritismo e é pentacampeão entre os cadeirantes

Lucas Mariano, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Um dos principais nomes dos últimos anos na categoria cadeirantes, Jaciel Antonio Paulino confirmou o favoritismo e se tornou pentacampeão da Corrida Internacional de São Silvestre ao completar os 15km da mais tradicional prova de rua da América Latina em 49 minutos e 59 segundos. Carlos Neves de Souza garantiu a segunda colocação, com o tempo de 57min12, seguido por Olivério de Souza Ferreira, que fez em 1h02min41.

Apesar de estar feliz em mais uma vez conquistar o troféu de campeão, o atleta ressaltou a dificuldade da disputa e lamentou ter terminado o percurso com um tempo superior em relação ao de 2012, que teve o mesmo trajeto deste ano - no ano passado ele venceu ao cravar 46min01.

“Aparentemente, ganhar cinco vezes é fácil. Mas não é. No trecho da subida da Brigadeiro tinha momentos que o vento era contra, vinha e parava, o que aumentou bastante o meu tempo. Para mim é uma decepção. Eu queria o mesmo do ano passado porque o percurso não mudou e eu aumentei meu tempo. Então para mim não foi um resultado particular. Foi bom ter ganho, mas como meta pessoal não foi bom”, afirmou Jaciel.

Atual tricampeão consecutivo, Jaciel também foi o mais rápido em 2007 e 2009. Disputando pela segunda vez a prova no período da manhã, ele novamente elogiou a prova e mostrou sua preferência pelo trajeto. “Para mim esse mesmo percurso está ótimo. Não precisa mudar nada. Está perfeito”.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Jaciel aponta vento na subida da Av. Brigadeiro Luís Antônio como principal fator por não ter melhorado seu tempo

Carlos também sofre com ventos na subida – Assim como o colega e pentacampeão Jaciel, Carlos Neves de Souza também teve grandes dificuldades com o vento na subida da Avenida Brigadeiro Luis Antônio e não conseguiu baixar seu tempo.

“Infelizmente fiz um tempo maior do que no ano passado. O clima ajudou bastante e gostei demais da prova, mas para mim foi a mesma coisa que o Jaciel. O vento foi predominante. Estava muito forte ali na subida”, analisou.

Mesmo não tendo conseguido alcançar a meta estipulada após os treinamentos durante o ano, Carlos se mostrou otimista e ressaltou qual é o bjetivo para a próxima edição da disputa.

“Nossa ideia é diminuir o tempo. Esse foi totalmente fora do que a gente esperou. Mas a nossa ideia é sempre fazer abaixo de 50 minutos e estamos treinando para isso”, finalizou o atleta.

Olivério faz segunda participação e garante presença em 2014 – Olivério de Souza ficou sabendo que a Corrida Internacional de São Silvestre também tinha a categoria de cadeirantes pela televisão e se interessou. Depois de participar em 2012, o atleta de 47 anos ficou em terceiro na edição deste ano e confirmou que novamente estará presente em 2014.

“Com certeza. Agora vou ver se consigo treinar melhor. Um amigo meu me arrumou um equipamento e estou treinando há um mês com ele, e a meta para o ano que vem é baixar o tempo”, disse Olivério, ao ser perguntado sobre sua participação em 2014, logo após completar o trajeto em 1h02min41, 50 segundos a mais do que conseguiu em 2012.

Com uma história de superação, Olivério contou com o apoio de familiares para começar a treinar em 1997, três anos depois de levar três tiros em uma briga de bar e perder o movimento das pernas. 15 anos após seus primeiros treinamentos, ele ressalta a importância da atividade física em sua vida. “O esporte é tudo. Quando eu não estava praticando eu parava só no hospital”, finalizou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade