Corrida Internacional de São Silvestre - ( )

Mentor de Caldeira aposta em surpresa de brasileiro com estilo africano

São Paulo (SP)

Ex-técnico de Franck Caldeira e Ronaldo da Costa, Henrique Viana orienta a carreira de Giovani dos Santos, apontado como um dos brasileiros com maior chance de romper o domínio estrangeiro na Corrida Internacional de São Silvestre. Mas o fundador e treinador da equipe Pé de Vento acredita que Valério de Souza Fabiano, outro pupilo seu, pode obter bom resultado em São Paulo justamente por ter estilo parecido com dos africanos.

Em 2012, a vitória da São Silvestre foi do queniano Edwin Kipsang, seguido por seus compatriotas Joseph Aperumoi e Mark Korir. Giovani dos Santos foi o melhor brasileiro na quarta posição. Já em 2011, a primeira colocação ficou com o etíope Tariku Bekele. O último brasileiro a triunfar na tradicional prova do dia 31 de dezembro foi Marilson Gomes dos Santos, tricampeão em 2010.

“A São Silvestre é uma prova muito difícil, com sobe e desce, e é preciso ter uma boa estrutura muscular. O Valério tem isso, ele é bem escuro, parece um africano mesmo. Só que ao contrário dos quenianos, ele é mais forte. É um cara que pode ser dar bem na São Silvestre”, avaliou Henrique Viana.

A esperança nos dois atletas da equipe Pé de Vento aumentou depois da Volta Internacional da Pampulha, disputada no último domingo em Belo Horizonte. Giovani dos Santos conseguiu o bicampeonato da prova com Valério na terceira colocação e Gilmar Lopes, também do time, em quinto.

Damião Ancelmo de Souza, em segundo, e José Marcio Leão da Silva, em quarto, completaram um pódio completamente nacional em Belo Horizonte. No feminino, Sueli Pereira, na quarta posição, foi a única atleta brasileira entre as cinco primeiras na prova vencida pela queniana Maurine Kipchumba.

Valério entrou para a equipe Pé de Vento em 2010 e mostrou evolução em seus resultados na São Silvestre. No primeiro ano em que correu a prova pelo time, ficou em 39º. Em 2011, já concluiu a prova em 28º. Na temporada passada, o fundista ficou com a 12ª posição.

Divulgação
Valério Fabiano (segundo da direita para a esquerda) ficou em terceiro na Pampulha e pode surpreender em São Paulo

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade