Corrida Internacional de São Silvestre - ( - Atualizado )

São Paulo e FCL celebram SS-13 já de olho no aniversário de 90 anos

Tossiro Neto São Paulo (SP)

A 89ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre mal havia começado - com recorde de inscritos -, na manhã desta terça-feira, e autoridades de São Paulo já conversavam com representantes da Fundação Cásper Líbero (FCL) sobre a intenção de promover uma grande festa para 2014, quando a mais tradicional prova de rua da América Latina completará 90 anos.

"Tem que ser uma comemoração diferenciada", sugeriu o secretário municipal de Esporte, Celso Jatene, durante café da manhã oferecido a convidados na sede da FCL. "Vamos pensar em algo que envolva toda a cidade, porque se trata de um símbolo de São Paulo. Vamos lembrar o paulistano de um modo geral, aquelas pessoas que passam o ano todo aqui e têm carinho especial pela corrida".

Vice-prefeita e também ex-secretária de Esporte, Nádia Campeão lembrou que 2014 será igualmente especial para o município. "Além de a São Silvestre completar 90 anos, São Paulo fará 460 anos. Temos que fazer algo interessante para marcar em conjunto. E temos muitas alternativas. Já começamos a pensar livremente em algumas possibilidades de comemoração", falou.

Uma das ideias é, a partir de janeiro, intensificar a divulgação de “São Silvestre”, filme em exibição em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Curitiba desde sexta-feira passada. Gravado durante a edição 2011 da prova, o longa-metragem dirigido por Lina Chamie registra a emoção de se participar do evento tradicionalmente realizado em 31 de dezembro, através da passada, respiração e gestos de um corredor - no caso, o ator Fernando Alves Pinto.

Marcelo Ferrelli/Gazeta Press
Carlos Francisco Bandeira Lins (à esq.) e Celso Jatene (centro) conversam durante café da manhã na FCL
Fazer marcações especiais ao longo do percurso de 15km é outra sugestão de Nádia para destacar a próxima edição. "Lembraríamos pontos importantes da cidade durante toda a corrida", imagina a vice-prefeita, que previamente agendou encontro com a organização da São Silvestre para o mês que vem.

Com largada no período da manhã pela segunda vez, a corrida teve crescimento de 10% de inscritos em relação aos anos anteriores e recebeu número recorde de competidores neste ano: 27,5 mil pessoas. Número que, em 2014, poderá ser ainda maior, de acordo com Carlos Francisco Bandeira Lins, presidente do Conselho Curador da Fundação Cásper Líbero.

"Vamos ver se conseguimos a liberação da outra pista da Avenida Paulista para superar esse número. Se for possível, certamente teremos mais de 30 mil inscritos, o que seria uma marca na 90ª edição da prova", disse Lins, que, dentre outros convidados, recepcionou ainda Claudio Luna Marconi e Didier Vanderhasselt, cônsules respectivamente de Bolívia e Bélgica, dois dos 41 países com representantes na prova.

Quem dominou a corrida, no entanto, não foram latinos ou europeus, mas de novo os africanos. Mais precisamente, os quenianos. Edwin Kipsang se sagrou bicampeão entre os homens, enquanto a compatriota Nancy Kiprono foi a primeira mulher a cruzar a linha de chegada.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade