Atletismo/São SIlvestre - ( - Atualizado )

Tanzaniana Sara Makera dá susto no fim, mas corresponde a treinador

Yan Resende, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Apontada como uma das atletas estrangeiras com o futuro mais promissor Sara Makera não decepcionou na 89ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre, acompanhou as primeiras colocadas e garantiu a quarta colocação, correspondendo às expectativas de seu treinador e empresário Moacir Marconi, o Coquinho. A tanzaniana, no entanto, deu um susto depois de cruzar a linha de chegada, passou mal e teve de ser retirada de maca.

A organização da tradicional prova paulistana, porém, agiu de forma rápida. Com a área médica ao lado da linha de chegada, os responsáveis pelo atendimento conduziram Sara ao local e, em 20 minutos, a atleta já estava recuperada para receber sua premiação no pódio.

O episódio também foi tratado com naturalidade pelo treinador Coquinho. “É normal, pois o clima é muito úmido. Há atletas que resistem de uma forma melhor, mas ela, por ser tão franzina, pesa 38kg, pode ter sofrido mais, porém ela conseguiu se recuperar rapidamente e está tudo bem com ela”.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Sara Makera chegou a passar mal no final da São SIlvestre, mas completou a prova na quarta colocação
Já com relação ao desempenho de sua atleta, Coquinho revelou que estava satisfeito. Sara é apontada como uma das promessas de sua equipe e o planejamento é fazer com que a tanzaniana já consiga figurar entre as atletas de ponta no próximo ano, principalmente por mostrar uma evolução relevante.

“A Sara é uma menina que está evoluindo muito bem. Eu contava com um pódio dela e ela correspondeu. Ela vinha em segundo até o meio da prova, um sinal de que estamos conseguindo levar ela junto com as melhores atletas. Em mais um ano de provas no Brasil, eu acho que conseguimos fazer da Sara uma grande campeã”, completou Moacir Marconi.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade