Corrida Internacional de São Silvestre - ( )

Técnico vê Giovani no auge e crê em primeira vitória na São Silvestre

São Paulo (SP)

Bicampeão da Volta da Pampulha, o fundista brasileiro Giovani dos Santos é mais uma vez apontado como um dos atletas com condições de desafiar o domínio dos africanos na Corrida Internacional de São Silvestre. Para o técnico Henrique Viana, criador da equipe Pé de Vento, o atleta chega à prova em São Paulo no auge de sua carreira e com chances de vitória.

Giovani, que conquistou seu segundo título da Pampulha no último domingo, foi o melhor brasileiro na São Silvestre de 2012, vencida pelo queniano Edwin Kipsang, em que ficou na quarta colocação. A posição foi a mesma que ele obteve em 2010, quando o compatriota Marilson Gomes dos Santos foi tricampeão.

Segundo Henrique Viana, ex-técnico de Ronaldo da Costa e Franck Caldeira, a filosofia do trabalho da Pé de Vento proporciona chances para Giovani na São Silvestre. Com ciclos de trabalho de um ano, os atletas do time chegariam à prova em São Paulo com as melhores condições de toda a temporada. Na Pampulha, na última semana, a equipe colocou no pódio, além do campeão, Valério de Souza Fabiano, terceiro colocado, e Gilmar Lopes, quinto.

“A gente não faz preparação específica para a prova, mas prega a evolução ao longo do ano. E a São Silvestre ajuda muito isso porque é o final do nosso ciclo de treinamento. Então é quando nossos atletas vão atingir o pico. Acreditamos firmemente na possibilidade do Giovani vencer a São Silvestre. O crescimento que ele teve este ano é que nos dá essa certeza”, explicou o treinador do brasileiro, vencedor também da Meia Maratona de São Paulo e na 10k do Rio de Janeiro deste ano.

Ao ficar com a quarta colocação da São Silvestre na temporada passada, com a marca de 44min48s, o atleta brasileiro traçou como meta para 2013 completar os 15km pela capital paulista na casa dos 43min, tempo que garantiria a ele o título no último ano. Em 2012, Kipsang foi campeão da prova do último dia do ano com 44min03s.

Viana acredita que seu pupilo, ex-alcoolatra, tem condições de atingir esta meta, mas alerta para a importância das condições climáticas durante a disputa no desempenho dos atletas. Assim como em 2012, a São Silvestre será disputada durante a manhã, em que a temperatura é mais amena e a chance de chuva menor do que à tarde.

“Esse ano usamos um método de treinamento diferente do utilizado no ano passado. Aumentamos a carga de treinamento dele e também e a intensidade e nessa reta final vamos fazer mais trabalhos de velocidade. Em condições normais esperamos que ele vá para os 43 minutos na São Silvestre”, afirmou o treinador.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Giovani dos Santos foi quarto colocado duas vezes da São Silvestre e agora busca a vitória

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade