Corrida Internacional de São Silvestre - ( )

Testar percurso pode ajudar na São Silvestre, dizem treinadores

São Paulo (SP)

A subida da Avenida Brigadeiro Luiz Antônio. A descida da Rua Major Natanael. O trecho pelo centro da cidade. Os desafios da Corrida Internacional de São Silvestre podem ser muitos, e conhecer previamente as dificuldades que enfrentarão no dia 31 de dezembro pode ajudar os corredores.

Em 2013, a prova chega a sua 89ª edição consecutiva e terá o mesmo trajeto do último ano, com largada e chegada na Avenida Paulista. O início da prova será na altura da Rua Frei Caneca. O fim, após 15km, em frente ao edifício da Fundação Cásper Líbero, no número 900 da via.

“Eu acho válido testar um pouco do percurso antes porque às vezes a pessoa larga no escuro e pode ser pega de surpresa em alguns trechos. Isso pode até gerar uma desmotivação. É bom as pessoas conhecerem o que enfrentarão e fazerem um planejamento da prova”, avaliou Adriano Bastos, octacampeão da Maratona da Disney e dono de uma assessoria esportiva.

A opinião do corredor é compartilhada por Marcos Paulo Reis, ex-técnico da Seleção Brasileira de triatlo e também dono de uma empresa que auxilia o treinamento de atletas amadores. Ele levará alguns de seus alunos até a um simulado da Corrida de São Silvestre em 15 de dezembro, 16 dias antes da prova, para os corredores sentirem mais confiança para a disputa.

“Tem gente que nunca fez a prova. O cara que é do interior às vezes quer ver para crer como é a subida da Brigadeiro e daí vai. Mas o mais importante para o lado psicológico é o cara estar treinado. Quem não treinou fica muito mais tenso do que quem sabe que está preparado”, avaliou Marcos Paulo.

Assim como em 2012, a São Silvestre será realizada durante a manhã. A primeira largada, para corredores cadeirantes, ocorre às 6h50, e a para portadores de necessidades especiais, às 6h55. O pelotão de elite feminino terá a largada às 8h40. Logo em seguida, às 9h, é a vez do pelotão de elite masculino, pelotão especial (masculino e feminino) e atletas em geral.

O novo horário da prova, segundo os treinadores, beneficia os atletas já que quando a São Silvestre era realizada durante a tarde o calor, a umidade e a grande possibilidade de chuva se uniam como adversários, além dos 15km de subidas e descidas pela maior cidade do Brasil.

“Agora fica melhor. Sofre um pouco quem faz a prova mais lenta porque vai começar a subir a Brigadeiro já lá pelas 10 da manhã e aí é importante ter uma hidratação boa. Esse cara tem que ir para a prova mais assustado com tudo porque aí ele dá uma segurada e poupa até a saúde dele”, afirmou Marcos Paulo.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Percurso de 2013 da São Silvestre será o mesmo da temporada passada com largada e chegada na Paulista

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade