Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Advogada do Vasco desiste de caso, mas Dinamite quer Justiça Comum

Rio de Janeiro (RJ)

Após ver seu pedido de impugnação, referente ao duelo contra o Atlético-PR, negado pela terceira vez no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o Vasco poderá recorrer à Justiça comum. Mesmo com a medida tendo um alto índice de reprovação por parte de conselheiros e dirigentes, o presidente cruz-maltino, Roberto Dinamite, está determinado a tomar esta iniciativa.

Após o encerramento da sessão, que teve um desfecho desfavorável para os vascaínos, a advogada do clube carioca, Luciana Lopes, reconheceu que o caso não possui volta em seu âmbito esportivo e expôs pouca esperança na reversão baseada na Justiça comum: "Não temos mais o que fazer na esfera esportiva. Esgotamos as possibilidades. Existem caminhos na Fifa e Justiça comum, mas isso é com a diretoria. Eles que decidirem futuramente. Infelizmente, a minha atuação terminou hoje”, ressaltou.

Visivelmente desanimado, Roberto Dinamite declarou que não medirá esforços para defender a sua posição nos tribunais, aproveitando para criticar a postura do árbitro mineiro Ricardo Marques Ribeiro, que pertence ao quadro da Fifa: "O problema não é o Vasco cair. Faltou respeito com o ser humano. Fica uma dúvida grande sobre o que vai acontecer em 2014. Vamos buscar o melhor possível para tentar ficar na primeira divisão. Tomaremos as medidas cabíveis para que, pelo menos, o clube seja ouvido. Não tinha policiamento no gramado e o comandante não reunia capacidade. Lamento também a atitude do próprio árbitro. Ele tinha que parar o jogo como autoridade. Acho que perde o futebol brasileiro", completou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade