Futebol/Bastidores - ( )

Aidar planeja diretoria são-paulina com nomes novos e mulheres

Tossiro Neto São Paulo (SP)

A diretoria do São Paulo terá muitos nomes diferentes em 2014 não apenas se a oposição vencer a eleição. Carlos Miguel Aidar, candidato da situação, também pretende substituir a cúpula atual. Quer, inclusive, conselheiras para compor sua equipe a partir de abril do ano que vem.

"Precisamos fazer algumas modificações. O exercício longevo do poder leva a um desgaste natural", explica.

Atual vice-presidente de futebol, João Paulo de Jesus Lopes apoia a escolha do presidente Juvenal Juvêncio para o pleito, mas deve se retirar por conta própria na próxima temporada depois de ter acumulado interinamente a função de diretor de futebol por alguns meses, devido à saída de Adalberto Baptista, hoje diretor secretário-geral.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Candidato da situação lançou oficialmente sua candidatura ao lado de belas mulheres, em uma churrascaria
Outros aliados de Juvenal, porém, podem ser recompensados por terem abdicado de concorrer ao pleito. São eles Julio Casares (vice de marketing e comunicação) e Roberto Natel (vice social e de esportes amadores). Já Carlos Augusto de Barros e Silva (o Leco, primeiro vice-presidente) é uma incógnita. Ele sonhava com o posto e foi o último nome da situação a retirar pré-candidatura.

"Quero agradecer aos três. Leco, muito obrigado. Julio Casares, muito obrigado. Roberto Natel, muito obrigado. A saída de cena - não do São Paulo, mas eleitoral - foi que tornou possível essa amálgama, essa união que vemos hoje", disse Aidar, durante o discurso de lançamento de sua candidatura, na segunda-feira à noite, em uma churrascaria próxima ao Morumbi.

No jantar oferecido a conselheiros e associados, havia cerca de 700 pessoas. E, no grupo de 100 conselheiros (dentre eles, 70 vitalícios) presentes - número repassado pelos assessores da campanha -, algumas mulheres, para as quais Aidar promete maior atenção caso seja eleito.

"Está na hora de o São Paulo se abrir para mulheres dentro de sua diretoria estatutária. Temos muitas sócias e conselheiras. É importante tê-las na gestão", falou o candidato, que deve oferecer cargos adjuntos à ala política feminina.

Os possíveis nomes, Aidar não revela. Como terá até 30 dias após a posse para definir sua diretoria, ele adota a mesma postura do oposicionista Kalil Rocha Abdalla de evitar ciúme entre conselheiros, estratégia que visa não perder nenhum voto até a confirmação da vitória.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade