Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Alessandro termina “partida mais difícil da vida” sem chorar

Helder Júnior São Paulo (SP)

O choro do técnico Tite com as homenagens da diretoria, da torcida e dos jogadores Corinthians na noite deste sábado, no Pacaembu, contrastou com a seriedade do lateral direito Alessandro. O capitão que anunciou aposentadoria também foi muito festejado no estádio municipal, mas segurou as lágrimas.

“Pode não ter escorrido nem uma lágrima sequer dos meus olhos, mas tenham certeza de que eu estava em prantos por dentro”, disse, sem se permitir sorrir. O discurso do lateral direito, no entanto, não disfarçava a sua emoção. “Foi muito difícil olhar para a arquibancada e pensar que, daqui a dois meses, não vou poder mais vivenciar isso. Foi a partida mais difícil da vida”, definiu.

Capitão do Corinthians nas conquistas da Copa Libertadores da América e do Mundial de Clubes em 2012, Alessandro decidiu encerrar a carreira aos 34 anos em função de suas limitações físicas. No Pacaembu, ele ouviu seu nome ser gritado pelo público diversas vezes durante o empate sem gols com o Internacional. Também ganhou uma placa dos dirigentes e uma faixa de sua família, com a seguinte mensagem: “Você sempre será nosso eterno guerreiro. Parabéns pelas suas grandes conquistas”.

“Não é fácil. Todo esse carinho mexe com a gente. Tentei me focar na partida, correr e acertar os passes, mas foi complicado. Rapaz... Que saudades vou ter disso tudo. Vou ter muitas saudades de vestir essa camisa, de escutar esse torcedor. Já estou sentindo muita falta”, discursou Alessandro.

Fernando Dantas/Gazeta Press
A uma rodada da aposentadoria, Alessandro foi homenageado na última partida que disputou no Pacaembu
O sentimento só não fez o veterano mudar de ideia sobre a aposentadoria. “Em alto nível, infelizmente não dá mais para eu jogar. A molecada nova está correndo demais. Tenho que dar espaço para eles. Estou com quase 35 anos e sou um profissional realizado. Saio daqui muito satisfeito, de cabeça erguida por tudo o que conquistei com a ajuda dos meus companheiros e principalmente da torcida”, concluiu o Guerreiro, chorando por dentro.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade