Futebol/Copa do Mundo de 2014 - ( - Atualizado )

Após briga em Joinville, Fifa garante segurança na Copa de 2014

São Paulo (SP)

O incidente envolvendo torcidas organizadas de Atlético-PR e Vasco, no domingo, assustou alguns torcedores que virão ao Brasil para a Copa do Mundo de 2014. Em comunicado oficial, porém, a Fifa garante que as partidas do Mundial terão forte esquema de segurança dentro e fora dos estádios.

“Para a Copa do Mundo de 2014, haverá um conceito bastante completo de segurança em operação integrada entre as autoridades de segurança públicas e privadas para garantir a segurança dos torcedores, jogadores e outros envolvidos no evento”, diz a nota oficial.

A entidade ressalta que a Copa das Confederações foi realizada sem maiores problemas. A competição foi disputada em meio aos protestos da população brasileira contra a corrupção, alguns deles realizados no entorno dos estádios em dias de partida. “O conceito funcionou muito bem durante a Copa das Confederações e é construído com base em modelos usados anteriormente em outras Copas do Mundo”, conclui o comunicado.

Governo Federal garante medidas imediatas

Não é apenas a Fifa que está preocupada com a garantia da segurança aos torcedores que virão ao Brasil para a Copa do Mundo de 2014. No Rio de Janeiro para a realização do Footecom (fórum de gestão esportiva), o secretário nacional de Futebol, Antônio Nascimento, relata que o Governo Federal realizará reunião para definir as ações que irão coibir brigas como a vista em Joinville.

"O governo está preocupado. Tomaremos medidas imediatas. Teremos uma reunião na quinta-feira, em Brasília. Convidamos o Ministério Público, o conselho do Ministério de Justiça, a CBF, os clubes e as federações para uma conversar. É inadmissível o que está acontecendo", disse o secretário, em entrevista ao canal Sportv.

Apesar de falar em medidas drásticas e imediatas, Antônio Nascimento acredita que não serão necessárias novas leis para evitar este tipo de incidente. Para ele, o Brasil já conta com legislação específica e precisa agora punir os envolvidos nas brigas dentro e fora dos estádios do país.

"Nós temos uma legislação, que é o estatuto do torcedor, mas temos que colocar em prática, tem que prender. Com tudo o que vimos no domingo, apenas três ou quatro foram presos. Não são torcedores, são vândalos. A solução não é excluir as torcidas organizadas. Temos quase 2 milhões de membros de organizadas no Brasil. Acredito que não tenhamos dois milhões de vândalos. Temos é que cumprir a lei que já existe. Precisamos que o judiciário faça e que a policia faça", conclui.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade