Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Assunção elege ano como "pior da vida", mas quer competir em 2014

Tarcísio De Lucca, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Profissional há 20 anos, o volante Marcos Assunção não teve temporada mais difícil do que a de 2013. Após sofrer com lesão no joelho e perder espaço no time do Santos, o jogador, descartando voltar ao exterior, só quer se isolar em Caieiras (SP) e se esquecer de tudo o que passou.

“Foi o ano mais difícil da minha carreira. Tentava fazer as coisas, mas não conseguia, não foi como planejei. Quero ficar com minha família e amigos em Caieiras. Preciso ficar perto das pessoas que me ajudam. Em janeiro, quero começar a pensar no futuro”, disse durante evento beneficente.

Ricardo Saibun/Santos FC
Assunção voltou a lamentar 2013, mas avisou que quer jogar em alto nível no ano que vem
Revelando já ter algumas propostas, Assunção reforçou que 2014 será seu último ato, mas projetou dignidade. “Quero jogar em um time que me dê chance de conquistar alguma coisa, jogar bem, fazer gols”, explicou, antes de negar o exterior. “Quero ver meus filhos crescendo”.

Depois de trocar o Palmeiras, onde era um dos destaques do time em 2012, pelo Peixe, o meio-campista nunca mais teve sequência. Ele até chegou a ser escalado pelo técnico Muricy Ramalho, mas acabou perdendo espaço e, inclusive, pediu para não receber salários do clube alvinegro.

Temendo uma represália trabalhista, a diretoria santista recusou o pedido, mas decidiu não renovar vínculo com o atleta de 37 anos. “Queria jogar, fazer gols, ajudar a equipe, mas aconteceu tudo ao contrário”, defendeu-se. “Quero ficar em casa, esquecer um pouco esse ano”, finalizou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade