Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Com Andrés e oração, operários retomam obras na Arena Corinthians

São Paulo (SP)

Após o baque, a retomada. Nesta segunda-feira, cinco dias depois do acidente que vitimou dois operários da Arena Corinthians, os 1.350 trabalhadores contratados pelo clube retomaram as obras no estádio que sediará a abertura da Copa do Mundo de 2014. Antes da volta às atividades, Andrés Sanchez, ex-presidente alvinegro e engenheiro-chefe do projeto, e todos os funcionários realizaram na entrada da Arena uma oração com cerca de 30 minutos de duração em homenagem aos mortos.

Em um primeiro momento, a concentração maior de operários será nos Prédios Oeste, Norte e Sul, além do gramado. Isto porque a Defesa Civil interditou 30% do Prédio Leste, local do acidente, que não poderá ser reestruturado até que seja feita a perícia. De acordo com a Odebrecht, construtora responsável pela Arena, a estrutura da arquibancada do setor não foi comprometida e representa, no total, menos de 5% da área do estádio.

Além da interdição, outra restrição neste reinício de obras está nos trabalhos com guindastes. Tal prática foi embargada pelo Ministério do Trabalho, por precaução. Os outros serviços, como instalações elétricas e hidráulicas, de assentos definitivos, de revestimentos de pisos, paredes e forros e de sistemas de som, além do acabamento externo continuam sendo avançados normalmente.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Após cinco dias de luto, obras na Arena Corinthians foram retomadas; 30% do Predio Leste está interditado

Estádio que sediará a primeira partida da Copa do Mundo de 2014, a Arena Corinthians foi palco de uma tragédia na última quarta-feira. Três estruturas metálicas da arquibancada, localizadas no setor leste do estádio, foram atingidas por um guindaste que caiu e matou dois operários que trabalhavam nas obras - o motorista e operador Fabio Luiz Pereira, 42 anos, e o montador Ronaldo Oliveira Santos, 44.

De acordo com o último balanço divulgado pela construtora Odebrecht, em novembro deste ano, 94% das obras já haviam sido concluídas, e a previsão de entrega seria até 31 de dezembro. Após o acidente, no entanto, resta saber se o prazo estipulado pela Fifa será respeitado e se o estádio estará apto para receber a partida inaugural do Mundial do ano que vem.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade