Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Com futuro indefinido, Betinho lamenta elenco "inchado" do Guará

Marcos Vieira* Guaratinguetá (SP)

A derrota por 2 a 0 para o Atlético-GO, no estádio Serra Dourada, válida pela última rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, selou o rebaixamento do Guaratinguetá para a terceira divisão nacional. Porém, o descenso tomou contornos que o torcedor do Tricolor do Vale não esperava: Sony Douer, proprietário da empresa gestora da Garça, colocou o clube à venda. Tal panorama preocupa os jogadores e membros da comissão técnica da equipe, que enxergam seu futuro indefinido. Neste contexto, o comandante do clube nas rodadas finais, Betinho, fez questão de expor o seu receio com a situação e aproveitou para realizar um balanço do desempenho guaratinguetaense no campeonato.

Após rebaixamento, diretoria do Guará ameaça abandonar o clube

“O Sony não teve o respaldo dos empresários da cidade. A situação chegou em tal ponto que ele achou melhor colocar o clube à venda. Assim, permanecemos na expectativa. Não sabemos se vamos ficar. Há jogadores no elenco com contratos prorrogados, mas que não tiveram resposta. Aguardaremos a próxima semana para planejarmos o futuro”, expôs o treinador.

Betinho traçou um paralelo do atual plantel com o Guaratinguetá de 2012, que conquistou a permanência na Série B com uma folha salarial mais barata: “É difícil explicar esse fator, mas acredito que o sucesso do ano passado tenha sido o elenco enxuto. Nesta temporada, transitamos em uma média de 43 jogadores. Assim, fica difícil o jogador se sentir útil. É complicado pro atleta. Tentamos deixar todos motivados, mas uma hora o profissional enxerga que não está sendo aproveitado e cai de produção”, lamentou.

Acerca da partida que selou o descenso da equipe, no Serra Dourada, o técnico apontou as lesões como a causa determinante para a derrota: “Pecamos no setor ofensivo. Perdi o Rafinha, um atleta que cresceu muito na competição, por contusão. Além do mais, o Alex Afonso foi à campo no sacrifício. Defensivamente nos comportamos bem, conseguindo conter a pressão inicial e o ímpeto do Atlético-GO, mas a nossa real intenção era entrar em campo com três atacantes. Não pudemos escalar o nosso time ideal”, ressaltou.

Betinho ainda aproveitou para exaltar a temporada dos zagueiros Marquinhos e Pedro Paulo, contestados após a derrota por 4 a 3 sobre o Paraná, no estádio Professor Dario Rodrigues Leite, em partida válida pela penúltima rodada da competição: “Foi um jogo atípico. Eles falharam, mas não foi por falta de concentração. São coisas do futebol. A participação deles na temporada foi excelente”, resumiu.

Por fim, o treinador expressou que a campanha decepcionante na Série A-2 do Campeonato Paulista, no primeiro semestre, não pesou para mais um rebaixamento do Guaratinguetá: “Lógico que a falta do acesso foi uma decepção muito grande para a nossa cidade, mas acredito que os atletas tenham entrado em campo na Série B com um outro pensamento. Tentamos passar por cima disto, mas não tivemos êxito”, completou.

*Especial para a GE.net

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade