Futebol/Futebol Internacional - ( - Atualizado )

Dia da torcida do Boca Juniors termina em violência em Buenos Aires

Buenos Aires (Argentina)

O 12 de dezembro é festejado na Argentina como dia nacional da torcida do Boca Juniors. Em comemoração à data, os torcedores xeneizes saíram às ruas de Buenos Aires para cantar seu amor pelo clube. Mas o clima de festa deu lugar à violência no começo da noite e houve confronto com a polícia. Além dos distúrbios, um torcedor foi morto na manhã desta sexta-feira.

Na avenida 9 de Julho, uma das principais vias da capital argentina, um grupo de torcedores subiu no telhado de um restaurante e a polícia usou da força para que descessem. A partir daí, segundo o jornal Clarín, alguns torcedores começaram a correr, deram início aos incidentes e a festa até então pacífica que se fazia nas proximidades do Obelisco virou confronto.

AFP
Cenas de violência tiveram início no centro da capital argentina, aproximadamente às 19 horas da quinta-feira

Os distúrbios não se resumiram ao centro da cidade. Na manhã desta sexta-feira, um torcedor de 18 anos do Boca Juniors foi assassinado na Zona Sul da cidade. Pablo Alejandro Rafael Ruiz, que vestia a camisa do time, tomou dois tiros e morreu no trajeto para o hospital. O responsável pelos disparos não foi localizado.

O presidente xeneize, Daniel Angelici, lamentou os acontecimentos dizendo que tomará providências para que isso não se repita. “Isso não é Boca. Vamos tomar medidas para que isto jamais aconteça novamente”, disse, já projetando a festa do próximo ano. “Vamos pensar algo em conjunto com as autoridades para que isso não ocorra no ano que vem, porque não dá mais”, finaliza o dirigente.

Pelo menos dois torcedores e cinco policiais sofreram ferimentos nos confrontos. Uma criança de dois anos sofreu um corte na cabeça, mas sem gravidade. No 12/12 do ano passado, o comportamento da torcida foi parecido: cerca de 300 torcedores saquearam o centro de Buenos Aires e entrentaram a polícia.

AFP
Mais de 40 torcedores foram detidos após a confusão no centro de Buenos Aires

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade