Futebol/Campeonato Brasileiro Série A - ( - Atualizado )

Diretoria surpresa com fim de ano ruim do Fluminense

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

A diretoria do Fluminense não imaginava que o time pudesse chegar à última rodada do Campeonato Brasileiro em situação tão delicada como a que está. Muito perto de ser rebaixado para a Série B, o presidente Peter Siemsen, o diretor de futebol Rodrigo Caetano e o empresário Celso Barros foram pegos de surpresa. Durante a campanha, o tricolor carioca chegou a ficar por oito rodadas invicto e os mais otimistas diziam que até uma vaga na Libertadores da América era possível. Agora, o futuro do clube em 2014 ainda não foi planejado, já que todos esperam a definição de qual competição disputará no próximo ano.

No mês passado, o time das Laranjeiras acertou a volta do meia Darío Conca, que estava no futebol chinês. Contratação que reflete a tranquilidade quando a posição na tabela, isso porque a patrocinadora em nenhum momento se envolveu na campanha, com Peter trabalhando sozinho e contando com receitas futuras para pagar o atleta que chegará. Receitas essas que serão reduzidas em caso de rebaixamento.

A situação de alguns profissionais do clube também será definida após o desfecho do Brasileirão. O atacante Fred, entregue há mais de um mês no departamento médico, teria dito a Peter que pretende permanecer, independentemente de qual divisão o time disputará em 2014. Porém, o jogador vem sendo aconselhado por amigos a deixar o clube em caso de queda. Fred deverá integrar a lista de convocados de Luiz Felipe Scolari para a Copa do Mundo de 2014.

Outro jogador com planos de disputar o Mundial, o goleiro Diego Cavalieri também pode sair. O jogador recebeu sondagens do São Paulo, que deseja um nome de peso para substituir Rogério Ceni em caso de aposentadoria do ídolo. Já o volante Jean descartou a possibilidade de sair.

“Já conversei com a diretoria e estão todos cientes do meu pensamento. Estou muito bem no Fluminense e não penso em sair no ano que vem, independentemente do que acontecer neste domingo. Mas acho também que não é o momento de pensarmos no futuro e sim focarmos apenas na nossa partida. Temos que tirar o time desta situação”, afirmou.

Outra incógnita envolve o futuro do técnico Dorival Júnior, com contrato somente até o fim do ano. O treinador não conta com unanimidade na equipe e deverá ser dispensado em caso de rebaixamento. Porém, existe uma corrente no Fluminense que defende a sua permanência, já que ele chegou na reta final e tem experiência em Série B, título que conquistou pelo Vasco em 2009.

Dentro de campo, o Fluminense precisa superar o Bahia neste domingo, às 17h (de Brasília), na Fonte Nova. Além disso, necessita de dois resultados: tropeços de Coritiba, diante do São Paulo e do Vasco contra o Atlético-PR na Arena Joinville. O elenco vai treinar nesta sexta-feira já na capital baiana, pois a diretoria decidiu antecipar a viagem para evitar desgastes maiores na véspera do jogo decisivo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade