Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Em livro do bi mundial, Zetti conta loucura de Cerezo por champanhe

Tossiro Neto São Paulo (SP)

O ex-goleiro Zetti lançou no início desta noite, na capital paulista, o livro 1993 – Somos bicampeões do mundo, escrito em parceria com o jornalista André Plihal. A data do lançamento não foi escolhida por acaso. Nesta quinta-feira, o segundo título mundial do São Paulo completa 20 anos.

Nas 136 páginas da obra, há diversas histórias de bastidores do grupo de jogadores que venceu o Milan por 3 a 2 (em 12 de dezembro de 1993, em Tóquio) e não só por isso ficou marcado como o mais vitorioso do clube. Uma delas, Zetti antecipou enquanto usava as mãos vencedoras para dar dezenas de autógrafos em contracapas.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Ex-goleiro escreveu livro sobre o segundo título mundial do São Paulo, conquistado há duas décadas
"O Toninho Cerezo estava louco no vestiário. Ele perguntava para todos se tinham champanhe. Mas antes do jogo! Imagine se alguém leva champanhe antes de uma final. E ele cobrava todo mundo, dizia que tinha que ter, porque nós iríamos vencer o jogo, que éramos melhores do que os caras", disse, rindo, antes de contar o final daquela hoje engraçada passagem.

"Quando acabou o jogo, depois de darmos a volta olímpica, ele abriu a bolsa dele e pegou duas garrafas de champanhe. Ele já estava esperando a vitória mesmo e molhou todo mundo no vestiário. Ele já percebia que era um grupo muito vencedor, unido", continuou Zetti, ao lembrar que o ex-volante foi autor do segundo gol do triunfo e eleito o melhor jogador da partida.

Presente também na primeira conquista mundial, no ano anterior, o autor de 1993 – Somos bicampeões do mundo entende que o segundo troféu foi mais difícil de ser ganho porque, daquela vez, o time de Telê Santana já não era mais desconhecido internacionalmente.

"Era uma responsabilidade maior. Em 92, entramos descontraídos (diante do Barcelona), porque não tinha cobrança, era uma novidade para os jogadores, para a imprensa. Já em 93, o Milan também tinha um supertime, e nós tínhamos muita preocupação. O Telê nos treinou muito bem durante a semana, e todos sabiam exatamente o que poderia acontecer no jogo", explica o ex-goleiro.

O que aconteceu pode ser relembrado em detalhes duas décadas depois. A obra (que, assim como 1992 – O mundo em três cores, é editada pela Panda Books) está à venda por R$ 35,90.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade