Futebol/Bastidores - ( )

Empolgado, Cañete é obstáculo a mais para Jadson no São Paulo

São Paulo (SP)

Em baixa no final deste ano, Jadson tentará no início da próxima temporada retomar a condição de titular do São Paulo, mas sabe que a dificuldade tende a ser maior. Além de Paulo Henrique Ganso, incontestável desde a chegada do técnico Muricy Ramalho, ele voltará a ter concorrência também de Marcelo Cañete, que retornou da Portuguesa.

O argentino de 23 anos está empolgado. Desde que sua volta ao clube foi antecipada - sofreu uma pequena lesão no púbis que o tirou de combate, tinha salários atrasados e foi liberado pela Portuguesa antes do final do empréstimo -, ele tem interagido com são-paulinos em redes sociais, na expectativa de fazer uma temporada que ainda não conseguiu desde 2011 com a camisa tricolor.

Na primeira temporada no futebol brasileiro, depois de chegar da Universidad Católica e de ter sido comparado a Riquelme em sua passagem pelo Boca Juniors (clube que o revelou e detinha seus direitos econômicos), o meia passou por uma cirurgia no joelho direito e ficou sem atuar por mais de um ano. Apesar de ter voltado em 2012, só teve oportunidades como titular no ano seguinte.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Meias disputarão posição novamente no ano que vem
O argentino chegou a deixar Ganso no banco e emplacar uma sequência de partidas, mas lesões menores e principalmente a boa fase de Jadson fizeram com que ele perdesse espaço de novo sob comando do técnico Ney Franco. Em maio, foi incluído na lista de dispensas anunciada pelo presidente Juvenal Juvêncio e acabou se transferindo para a Portuguesa, tendo ido a campo apenas 21 vezes pelo São Paulo.

O início na equipe rubro-verde foi animador, porém ele não se firmou, machucou-se e foi devolvido antes mesmo do final do contrato. Voltou, no entanto, para o local do qual nunca queria ter saído - quando foi para o Canindé, divulgou mensagem pedindo desculpas à torcida são-paulina e prometeu retornar para conquistar títulos. É isto que o move: a possibilidade de trabalhar com Muricy Ramalho e ser campeão pelo clube com o qual tem contrato até 2016.

Para isso, entretanto, terá que convencer o treinador ao longo da pré-temporada (com início marcado para 6 de janeiro, no CT da Barra Funda), mesma tarefa de Jadson. Se Cañete busca uma nova chance no elenco, o camisa 10 tem sonho duplo: em ano de Copa do Mundo, tenta provar que merece também novamente uma vaga na Seleção Brasileira treinada por Luiz Felipe Scolari, tal qual Ganso.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade