Futebol/Copa do Mundo de 2014 - ( - Atualizado )

Fifa explica polêmica com argentinos e vê carga menor em arenas atrasadas

Costa do Sauípe (BA)

O diretor de marketing da Fifa, Thierry Weil, e o secretário-executivo do ministério do esporte, Luis Fernandes, esclareceram temas importantes referentes à comercialização de ingressos para os jogos da Copa do Mundo de 2014, no Brasil. Em entrevista coletiva realizada na Costa do Sauipe, Bahia, nesta quarta-feira, os mandatários explicaram a polêmica envolvendo a quantidade de entradas destinadas aos argentinos e admitiram disponibilizar um menor número de bilhetes para os estádios com atraso confirmado pela entidade na segunda fase de vendas, com início marcado para o próximo domingo.

Inicialmente, Thiery Eil elucidou uma das maiores polêmicas da primeira fase de comercialização de ingressos. Segundo balanço divulgado pela Fifa no dia do encerramento do processo, em 10 de outubro, os argentinos haviam solicitado um total de 266.937 entradas. No entanto, conseguiram garantir somente 4.493 bilhetes - apenas 1,7% do total. O país ficou na 11ª colocação no ‘ranking de sorteados’ pela entidade, atrás de Brasil, Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Austrália, Canadá, França, Colômbia, Suíça e Japão.

Os números mostraram que a Argentina deu muito azar no sorteio realizado pela Fifa. Vice-líderes no número de pedidos, os Estados Unidos, por exemplo, foram agraciados com 66.464 ingressos (cerca de 18% das 374.065 inscrições). O residentes no Brasil, por sua vez, tinham pedido quase 4,4 milhões (4.368.029, mais especificamente) e garantiram 625.276 - percentual de sucesso de 14%.

O fato gerou enorme discussão nos principais jornais argentinos, que colocaram em xeque a legitimidade do sorteio realizado pela Fifa. Nesta quarta-feira, porém, a entidade revelou os motivos pelos quais os ‘hermanos’ não conseguiram um número de ingressos proporcional aos pedidos feitos pelo site oficial da Fifa.

“Nós tivemos a Argentina em segundo lugar em termos de pedidos. E houve uma diferença imensa. Comparo isso como se 200 pessoas quisessem comprar um carro e apenas uma tenha conseguido. Mas o que aconteceu é que a maioria dos argentinos pediu ingressos para os mesmos jogos. Por isso tão poucos”, explicou Weil.

AFP
Costa do Sauipe, na Bahia, será palco do sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2014, na próxima sexta-feira

O diretor de marketing da entidade ainda admitiu que o atraso nos estádios de Cuiabá, Curitiba e São Paulo vai, sim, interferir na nova fase de venda de ingressos. A Fifa ainda não tem o mapa de assentos das arenas e, com isto, disponibilizará uma carga menor de entradas neste segundo momento.

“Do ponto de vista dos ingressos, nós estamos interessados que os assentos estejam instalados. Mas sabemos dos atrasos e, provavelmente, não vamos disponibilizar tudo nesse momento. Vamos trabalhar com uma margem de contingência. Mas é fato que, mais cedo ou mais tarde, eles serão liberados”, explicou Thierry Weil.

Segundo o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, informou em entrevista coletiva na última terça-feira, Arena Corinthians, Cuiabá e Curitiba, que tinham prazo inicial de entrega para 31 de dezembro, poderão ser concluídas até fevereiro de 2014 – quatro meses antes do início da Copa do Mundo. Por outro lado, de acordo com declarações do ministro do esporte, Aldo Rebelo, nesta quarta, Arena Amazônia, Beira-Rio, e Arena das Dunas tiveram seus prazos prorrogados até janeiro do ano que vem.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade