Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Flamengo deve recorrer decisão do STJD por motivos financeiros

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

Ao perder quatro pontos na noite de segunda-feira, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o Flamengo caiu da 13ª para a 16ª posição na classificação final do Campeonato Brasileiro, mas isso pouco modificou seu planejamento para a próxima temporada. Isso porque o clube continua na elite do futebol nacional. Mesmo assim, pretende recorrer da decisão e recuperar os pontos. O motivo é puramente financeiro. Isso porque boa parte dos contratos de patrocínio do clube, incluindo a da fornecedora de material esportivo Adidas, prevê uma redução de quantia paga ao clube caso o mesmo termine o torneio nacional nas últimas posições.

De maneira unânime, o Flamengo foi penalizado com a perda de quatro pontos pela escalação irregular do lateral esquerdo André Santos no empate em 1 a 1 com o Cruzeiro, na última rodada do Campeonato Brasileiro. O Rubro-Negro, no entanto, foi beneficiado pela punição que o Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) deu mais cedo à Portuguesa, e escapou do rebaixamento à segunda divisão nacional.

Assim como no caso da Portuguesa, esta foi apenas a primeira batalha judicial no STJD e o Flamengo tem a possibilidade de recorrer da decisão ao Pleno da entidade. Além da perda dos pontos, o relator Luiz Felipe Bulus cobrou multa de R$ 1 mil ao clube – pedido acatado pelos auditores do caso.

André Santos foi expulso na decisão da Copa do Brasil, contra o Atlético-PR, no dia 27 de novembro. Como o regulamento prevê o cumprimento da suspensão em torneios realizados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o lateral-esquerdo não entrou em campo no jogo contra o Vitória, imediatamente após a final. O julgamento, no entanto, foi apenas na sexta-feira seguinte, e o condenou a cumprir um jogo de suspensão. Como utilizou o jogador contra o Cruzeiro, o Flamengo foi denunciado no artigo 214 (incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

“Um jogador expulso deve cumprir no jogo seguinte a suspensão automática. Tem que ficar fora do jogo seguinte. A circular da entidade estabelece que a suspensão automática deve ser carregada para o jogo seguinte da outra competição. A suspensão automática não pode ser extinta”, argumenta o advogado do Flamengo, Michel Assef Filho.

Apesar de reconhecer que o Rubro-Negro não se beneficiaria com o resultado e que não tinha a intenção de se beneficiar com a escalação de André Santos, o relator Luiz Felipe Bulus ressaltou que não pode haver subjetividade na avaliação do caso, ignorando o objetivo final e decidindo pela punição do clube.

Dentro de campo o Flamengo segue trabalhando para a contratação de reforços, pois pretende ter o elenco fechado até o dia 6 de janeiro, quando o grupo se reapresenta e começa a preparação para a disputa do Campeonato Carioca e da Copa do Brasil. O técnico Jayme de Almeida já deu aos dirigentes uma lista com os jogadores que ele gostaria de contar para a próxima temporada.

O primeiro nome que deve ser anunciado deve ser o do volante Rodrigo Souza, de 26 anos, que se destacou pelo Boa Esporte na Série B do Campeonato Brasileiro. O jogador tem metade dos direitos federativos ligados ao clube mineiro e a outra metade pertencente ao Sampaio Corrêa-MA. O Rubro-Negro já acertou as bases salariais com o atleta. O clube ainda quer a contratação de dois meio-campistas e um atacante.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade