Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Foi uma verdadeira inquisição, diz Manuel da Lupa sobre julgamento

Rio de Janeiro (RJ)

Manuel da Lupa, presidente da Portuguesa, disparou contra o julgamento do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) desta segunda-feira, que decretou o rebaixamento da Lusa à Série B do Campeonato Brasileiro e a permanência do Fluminense na primeira divisão nacional. Para ele, a decisão foi rígida demais.

“Fui a um julgamento que foi uma verdadeira inquisição, um julgamento de exceção. O relator levou um discurso totalmente pronto, tudo mundo acompanhou o voto. Eles analisaram unicamente o artigo 133, não analisaram código como um todo”, disse o dirigente em entrevista à TV Bandeirantes.

O presidente da Lusa voltou a afirmar que o clube não teve conhecimento sobre a suspensão de Héverton e negou omissão no caso. “Sabemos que (Sestário) estava viajando. Disseram que foi para a Suíça, não sei se é verdade”, disse. Oswaldo Sestário tornou-se um dos pivôs da polêmica após ser acusado pela Portuguesa de não ter avisado o clube sobre a irregularidade do jogador.

Da Lupa ainda disse que houve omissão por parte da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que não alertou em seu site sobre a situação de Héverton.

“Isso é um absurdo, porque existe hoje um site na CBF que é como um BID que informa sobre irregularidades de atletas. Acessamos no dia 6, no dia 7, no dia 8, no dia 9 e no dia 10. Lá está escrito e temos a cópia dizendo que o jogador tinha cumprido suspensão automática e não falava nada que ele estava irregular. Se estivesse, jamais o escalaríamos, até porque não iria mudar em nada o resultado da partida”, indignou-se o cartola.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade