Futebol/Mercado - ( )

Juvenal avisa: próximos reforços serão só "carregadores de piano"

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Luis Ricardo, de 30 anos, é a única contratação certa do São Paulo para a próxima temporada, até o momento. Assim como o lateral direito que virá da Portuguesa, os próximos reforços não serão grandes nomes do futebol brasileiro, segundo o presidente Juvenal Juvenal, descontente ultimamente com medalhões.

"Não tem nada de estrela. Quero o cara que joga mesmo, que carrega o piano. Estou precisando disso. As estrelas nem sempre dão certo", avisou o mandatário, na segunda-feira à noite, em uma churrascaria da capital paulista, durante lançamento da chapa que tentará eleger Carlos Miguel Aidar como seu sucessor, em abril de 2014.

O recado deve frustrar Muricy Ramalho. Na semana passada, logo após a eliminação na semifinal da Copa Sul-americana, o treinador disse que exigiria reforços de ponta para brigar por todas as competições, depois de ter enfrentado muita dificuldade para salvar um time limitado do rebaixamento à segunda divisão nacional.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Discurso do presidente são-paulino vai de encontro ao que o técnico Muricy Ramalho pediu, na semana passada
"Tem que trazer jogadores que sejam do nível do São Paulo. Se for para trazer jogador mais ou menos, é melhor não trazer. O São Paulo sempre foi diferente nisso, porque aqui não é para participar, é para ganhar título. Tem que ser de nível muito alto, senão eu não vou concordar. Tem que ter currículo para ser campeão", cobrou, naquela ocasião.

Embora reconheça o ano sofrível do futebol são-paulino, Juvenal transfere a responsabilidade para alguns atletas de maior destaque. "Eu esperava mais. Não foi por isso, não foi por aquilo. Não falemos nomes, sejamos generosos. Mas algumas peças não foram bem. Custaram suor, sacrifício, ousadia dos dirigentes. Custaram os cofres, mas não corresponderam", criticou, prometendo dispensas.

"Temos (alguns jogadores dispensados). Não posso falar, mas é claro que temos. O São Paulo já sabe com quem não vai ficar e já sabe alguns que quer. Já trouxemos aquele lateral da Portuguesa, aquele zagueiro (do futebol) de Santa Catarina, que é muito bom jogador. Mas é o começo, quero mais", acrescentou o dirigente, referindo-se a Roger Carvalho, beque com passagem pelo Figueirense e que só deve estrear em janeiro.

O atacante Luis Fabiano, apesar de ter ido recentemente para a reserva – motivo pelo qual se mostrou insatisfeito em público –, não está na lista de dispensas, ao contrário do zagueiro Lúcio, afastado desde julho. Da mesma forma, o meia Paulo Henrique Ganso, jogador que mais evoluiu após a chegada de Muricy Ramalho, não deve ser negociado com o futebol europeu. Mas Juvenal, em contrapartida, não gosta de garantir nada.

"Você não pode usar a palavra garantia, porque podem aparecer propostas etc", justifica. "Essa coisa de não vender é uma bobagem. Amanhã, se aparecer uma proposta importante, ele (Luis Fabiano) vai também, como os outros. Como o Kaká foi vendido, como o Neymar foi vendido. O futebol migra nas suas emoções. Não existe mais no futebol de hoje isso de que não é factível a venda. É, sim, para todo e qualquer atleta".

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade