Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Misterioso, Criciúma anuncia ter desistido de contratar Paulo Baier

Criciúma (SC)

Três dias depois de anunciar a intenção de repatriar Paulo Baier, a diretoria do Criciúma resolveu desistir das negociações. Os dirigentes do Tigre não revelaram as razões do recuo, apenas garantiram que a desistência não está relacionada a problemas financeiros. Já o novo técnico Ricardo Drubksy negou que tenha influenciado na decisão da cúpula.

“Nós tínhamos interesse nele, sim, é claro. Mas nós nos retiramos da negociação. Não foi por questões financeiras, mas também não posso revelar porque tomamos essa decisão”, declarou o executivo de futebol Carlos Kika, em entrevista ao Diário Catarinense. Na última terça-feira, o diretor de futebol Cláudio Gomes havia confirmado a vontade de trazer o veterano.

Se o lado financeiro foi descartado pela diretoria como fator para ter causado a desistência, o técnico Ricardo Drubsky não teve como fugir das perguntas sobre uma possível briga com Paulo Baier no Atlético-PR. Os dois participaram da campanha do acesso do Furacão em 2012, quando o meia não tinha sequência de jogos na equipe titular.

No início deste ano, Drubsky voltou a preterir o experiente jogador e acabou demitido do clube após começo irregular no Campeonato Brasileiro. Vágner Mancini assumiu o comando rubro-negro, recolocou Baier entre os titulares e levou a equipe à vaga na Copa Libertadores da América e ao vice-campeonato da Copa do Brasil.

Contratado para substituir Argel Fukcs, Drubsky rechaça ter vetado a chegada do ex-comandado. “Eu poderia até me dar ao luxo de não responder isso. Briga é um termo muito pesado. Não teve absolutamente nada, tenho uma relação muito boa com ele. Prefiro que você pergunte a ele sobre essa briga, porque eu sinceramente desconheço”, sentenciou.

Paulo Baier acumula duas passagens pelo time catarinense: em 1996 e 1997 e em 2002 e 2003. No último Campeonato Brasileiro, o meia voltou ao Heriberto Hulse pelo Atlético-PR e marcou um golaço. A torcida do Criciúma aplaudiu de pé e o ídolo não comemorou por respeito. A partida terminou com vitória carvoeira por 2 a 1.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade