Futebol/Bastidores - ( )

MPT pede interdição da Arena Amazônia após morte de operário

Manaus (AM)

As obras da Arena Amazônia podem ser interditadas ainda neste domingo. Isso porque o Ministério Público do Trabalho (MPT) entrou com pedido na Justiça para que os trabalhos que envolvam operações em grandes alturas sejam interrompidos por falta de segurança após a morte de um operário na madrugada de sábado.

Marceleudo de Melo Ferreira, de apenas 22 anos, trabalhava na montagem da cobertura do estádio construído para a Copa do Mundo de 2014 quando caiu de uma altura aproximada de 35 metros. Para que as obras sejam retomadas, a construtora Andrade Gutierrez S/A precisará comprovar que cumpre os requisitos mínimos de segurança e das medidas de proteção para trabalho em altura.

Caso a medida judicial não seja cumprida, a construtora será multada em R$ 100 mil por cada dia de trabalho irregular. A Andrade Gutierrez, entretanto, já anunciou que interrompeu as obras e que realiza investigação interna para entender os motivos do acidente. A UGP-Copa, órgão estadual para assuntos do Mundial, também participa da ação.

A interdição não tem relação, porém, com a segunda morte registrada no sábado. José Antônio da Silva Nascimento, de 49 anos, sofreu um infarto e faleceu por volta do meio-dia. A vítima, que prestava serviço nas obras do Centro de Convenções do Amazonas, anexo à Arena, estaria trabalhando sob pressão, de acordo com alguns familiares.

A Arena Amazônia receberá quatro partidas na Copa do Mundo de 2014. Na primeira rodada, o estádio será palco do confronto entre Inglaterra e Itália, do grupo D. Pelo grupo A, o mesmo do Brasil, Croácia e Camarões se enfrentam na segunda rodada em Manaus, assim como Estados Unidos e Portugal pelo grupo G. Honduras e Suíça encerram a participação no grupo E na capital amazonense.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade