Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Oposição são-paulina atrai sócios em evento com ator global e cantor

Tossiro Neto São Paulo (SP)

O grupo político de oposição do São Paulo realizou na noite desta segunda-feira (data de aniversário da refundação do clube) seu último e maior evento no ano. Após reuniões menores principalmente para conselheiros, a chapa SPFC Forte, de Kalil Rocha Abdalla, atraiu número considerável de associados, em um espaço próximo ao Morumbi.

Cerca de 800 pessoas compareceram, de acordo com a organização da festa - na qual era "indispensável apresentação da carteirinha de sócio", dizia o convite.

O foco passou a ser mais claramente os sócios porque serão eles os responsáveis por escolher 80 novos conselheiros, em abril de 2014. Esse grupo se juntará aos outros dois terços do Conselho, compostos por membros vitalícios. Juntos, totalizarão os 240 possíveis votos da eleição presidencial.

Acervo/Gazeta Press
Em 2008, o ator Henri Castelli serviu de modelo para a apresentação de uma coleção de uniformes do clube
"Eles é que nos interessam", admitiu Kalil. "Foi um evento bem organizado, tudo funcionando direitinho. Não há campanha tão bem feita quanto à nossa", acrescentou o candidato, quando incitado a comparar seu evento com o lançamento oficial da candidatura de Carlos Miguel Aidar, nome da situação.

Há exatamente duas semanas, Aidar abriu as portas de uma churrascaria também próxima ao estádio para falar pela primeira vez em público com seu eleitorado. Na ocasião, estiveram presentes aproximadamente 700 pessoas - número também estimado e divulgado pela própria chapa.

Depois de a situação ter convidado a modelo Mônica Apor e a saltadora Maurren Maggi, a oposição contou nesta segunda-feira com a presença de Henri Castelli, ator da TV Globo, e do cantor Jairzinho, filho de Jair Rodrigues, além do ex-jogador Darío Pereyra, mais uma vez. Os três discursaram rapidamente em apoio a Kalil e seus aliados.

Como nos encontros anteriores, tanto Kalil quanto Marco Aurélio Cunha, seu provável vice-presidente de futebol em caso de vitória na eleição, bateram na tecla de que a gestão atual, do presidente Juvenal Juvêncio, atrasou o São Paulo e tirou do clube a premissa de transparência, lema maior da atual oposição.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade