Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Paulo Schmidt afirma que justificativa da Lusa é “pouco crível”

São Paulo (SP)

Responsável por denunciar a escalação do meia Héverton na partida entre Portuguesa e Grêmio, disputada no último domingo, o procurador-geral do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), Paulo Schmidt, afirmou nesta quarta-feira que a justificativa apresentada pela Portuguesa, alegando que teria havido um erro de comunicação por parte do tribunal, é "pouco crível".

"Não tem a menor chance de ter acontecido (comunicação errada). Consta no acórdão e nos autos. O clube vai tentar apresentar as suas justificativas, mas esta é uma justificativa pouco crível, para não usar outra expressão. Houve um pouco talvez de desinformação, problemas internos, não quero fazer juízo de valor. Conheço o advogado, é excelente. Não sei se foi falha de comunicação interna, o fato é que ele foi punido por dois jogos e jogou domingo", disse Schmidt em entrevista ao BandSports.

Jogador irregular pode rebaixar a Portuguesa no lugar do Fluminense

Vice-presidente da Lusa não acredita em erro do jurídico do clube

O meia Héverton foi julgado na última sexta-feira pelo STJD por ter sido expulso na partida contra o Bahia, e recebeu duas partidas como punição. O advogado Oswaldo Sestário Filho, que representa a Lusa, informou que o atleta havia sido punido por apenas um jogo, cumprido diante da Ponte Preta.

O erro pode significar o rebaixamento da Portuguesa para a Série B do Campeonato Brasileiro, pois o regulamento de competições da CBF prevê a perda de pontos ao time que escale um jogador de maneira irregular. Neste caso, a Lusa perderia quatro pontos (um pelo empate contra o Grêmio e os outros três que estavam em jogo na partida) e entraria na zona da degola, salvando o Fluminense.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade