Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Presidente acolhe Wando no Vila Nova; Róbston analisa adversários

Goiânia (GO)

Mesmo não sendo apresentado oficialmente, o experiente atacante Wando, de 33 anos, treina no Vila Nova-GO. O “Capetinha”, como fora apelidado pelos torcedores no auge da carreira, teve seu nome contestado pelos fãs do Tigre, que parecem não depositar mais esperanças em seu potencial, desde o rebaixamento para o Campeonato Brasileiro da Série C, em 2011. Porém, o presidente do clube, Joás Abrantes, defendeu o jogador e afirmou ter atendido o pedido de um ídolo ao sinalizar sua volta.

“Estamos respeitando a vontade de um ídolo que pediu uma chance para retornar. Precisamos respeitar o que ele já fez pelo Vila Nova. Quanto às críticas, neste momento só aparecem as pessoas que são contrárias e que não queriam a chegada dele. Mas isso a gente resolve com trabalho. Tenho certeza que muita gente vai aplaudir quando ele mostrar seu futebol. Aliás, muita gente já me disse que está feliz com a volta do Wando. Só que estas pessoas não sentem a necessidade de falar em público, elas querem apenas torcer pelo Vila Nova”, explicou o mandatário.

Antes de retornar ao Vila Nova-GO, Wando estava atuando no Águia de Marabá-PA, onde deixou a desejar, amargando, por muitas vezes, a reserva. O atleta também já defendeu o rival, Goiás, nas temporadas de 2003 e 2004, além de Cruzeiro (2005) e Botafogo (2006).

Volante discorre sobre rivais goianos – Quando questionado sobre a preparação do Tigre para a disputa do Estadual, o volante Róbston, que defendeu o Atlético-GO, colocou sua atual equipe no mesmo nível das demais, destacando a perda que o plantel dos adversários sofreu: “Se levarmos em consideração o desmanche de Goiás e Atlético-GO, com certeza estamos todos no mesmo nível. O Goiás perdeu parte do elenco que segurava a barra no Campeonato Brasileiro, e o Dragão também perdeu muitos atletas. Estamos atrás em termos financeiros, mas como já estamos treinando, poderemos tirar proveitos. Por enquanto não há favorito, talvez as equipes do interior estejam à frente”, pontuou.

Por fim, mesmo com o otimismo, Róbston sinaluzou que o elenco do Vila Nova-GO precisa de reforços: “Tínhamos a esperança de que jogadores importantes ficassem, como Frontini, Thiago Marin, Neto Gaúcho e Tiago Cametá. Quando um atleta fica mais de uma temporada em um clube, ele passa a se identificar e gostar daquilo. Seria importante a manutenção, acho que é bom manter o que deu certo. Mas tenho confiança na diretoria, espero que consigam repor as peças para que o Vila seja forte. Temos de acreditar em nós mesmos”, expressou.

A estreia do Vila Nova-GO no Estadual será no dia 19 de janeiro, domingo, às 17 horas (de Brasília), diante do Anápolis, no estádio Onésio Brasileiro Alvarenga. O Tigre está no Grupo B, que, além do seu adversário inaugural, conta com Anapolina, Aparecidense e Goianésia.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade