Futebol/Campeonato Brasileiro Série A - ( - Atualizado )

Presidente da Leões culpa despreparo de Da Lupa pelo rebaixamento

Yan Resende, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Manuel da Lupa encerra seu mandato como presidente da Portuguesa na próxima segunda-feira, no dia 31 de dezembro, mas não será esquecido pela torcida da Portuguesa tão cedo. Nesta sexta-feira, o presidente da Leões da Fabulosa, organizada do clube do Canindé, afirmou que o principal culpado pelo rebaixamento à segunda divisão, confirmado pelo Pleno do STJD, é o despreparo do mandatário e dos responsáveis pelos departamentos jurídico e de futebol.

“É um despreparo muito grande não só dele (Manuel da Lupa), como de toda diretoria de futebol e do departamento jurídico. É um erro amador, talvez nem um time amador passe por isso, e prejudicou a Portuguesa. Mas existem males que vem para o bem. Isso serviu para unir a torcida. A colônia portuguesa estava um pouco desgastada e isso fez com que se unisse mais”, destacou Marcelo Cabral.

O presidente da Leões da Fabulosa citou as duas manifestações que ocorreram na Avenida Paulista para evitar o rebaixamento da Portuguesa na Justiça. As ações foram organizadas por torcedores comuns, contando com o apoio da organizada, o que mostrou o momento de união da torcida rubro-verde em um momento delicado vivido pelo clube.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Marcelo Cabral, presidente da Leões, colocou a culpa sobre o presidente Manuel da Lupa pelo rebaixamento
Para Marcelo Cabral, a postura adotada por Manuel da Lupa em sua gestão afastou o torcedor, já que não houve apoio da diretoria para encher as arquibancadas do Canindé sequer nos jogos mais importantes da equipe rubro-verde, o que deixou a relação com o mandatário ainda mais desgastada nos últimos meses.

“A torcida da Portuguesa como um todo está cansada da gestão do Da Lupa. Nesses últimos nove anos de poder, ele se apoderou do clube e afastou a torcida da Portuguesa do estádio, porque tudo era em prol de seu próprio negocio. Então, quanto menos torcida no campo, mais tranquilidade ele tem no Canindé. A torcida incomoda e sempre incomodou. Além disso, ele nunca nos procurou para discutir qualquer coisa que estava acontecendo ou ajudar em algo. Sempre que ele pôde nos prejudicar, ele nos prejudicou”, completou o representante da torcida organizada.

Nos jogos mais importantes da Portuguesa nos últimos anos, a Leões da Fabulosa se manifestou contra o mandatário. Depois de permanecer na primeira divisão em 2012, com um empate sem gols diante da Ponte Preta, não houve festa no Canindé, apenas críticas direcionadas a Manuel da Lupa. O fato também aconteceu na final da Série A2 do Campeonato Paulista deste ano, quando a Lusa bateu o Rio Claro e viu sua torcida não festejar o título.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade