Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Presidente do Figueirense festeja orçamento maior em 2014

Florianopolis (SC)

Com o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro, além do direito de participar da principal competição do futebol nacional, o Figueirense ainda ganha compensação financeira por fazer parte dos vinte clubes da elite. O presidente do clube, Wilfredo Brillinger, comemora o alívio nas finanças e projeta pagar parte das dívidas do clube.

"É um ano que tenho que pensar em aproveitar a receita maior. Porque na Série B você paga para jogar. Em 2014, vamos ter um aumento de recursos e quero sanar as dívidas, dar uma equilibrada nas contas. Saneamento total você não consegue fazer a curto prazo. Por isso a importância de ficar na Série A por muitos anos”, planeja o dirigente do Figueira, que ainda afirma que o projeto tem início já no Campeonato Catarinense. “Esse nosso pensamento vai refletir já no estadual. Vamos entrar para disputar o título, mas com um grupo dentro das nossas condições financeiras. Eu quero dar oportunidade para oito ou nove atletas da base. O Catarinense é uma competição deficitária para todos os grandes do estado. Isso porque nós já estamos pensando nas série A e B e temos que fazer investimentos diferentes. As receitas do Catarinense e do Brasileirão são bem diferentes", explica Brillinger.

O presidente ainda fala sobre o plano de sócios do Figueirense, que deve crescer em quantidade e em opções com a participação da equipe na primeira divisão nacional.

“Nós temos um plano de sócios com cerca de 10 mil adimplentes, quero levar este número para 15 mil. Quando eu falo de sócio, falo da pessoa física. Quero criar algo para o empresariado, o Sócio Executivo. O plano que estou montando tem cinco categorias: platinum, diamante, ouro, prata e bronze. Isso vai variar, por exemplo, de R$ 1 mil até R$ 20 mil. Assim eu pego o empresário menor, aquele que tem um açougue, até os grandes empresários de Florianópolis”, explica. “Esses empresários vão ganhar ingressos, camisas oficiais mensais. O maior vai ganhar 30 camisas, o menor três, por exemplo. Além disso, vai ter placas no estádio. Isso é algo novo e é um desafio. Eu quero trazer esse empresário para dentro do Figueirense”, afirma empolgado o dirigente do Figueira.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade