Futebol/Bastidores - ( )

Programa de sócios-torcedores planeja dobrar alcance no ano da Copa

Helder Júnior São Paulo (SP)

Um encontro em um bar da Vila Madalena, bairro boêmio de São Paulo, serviu para os líderes do Movimento por um Futebol Melhor fazerem um balanço do que alcançaram em 2013 e planejarem novas metas para 2014, na noite de segunda-feira. O projeto tem o intuito de aumentar sensivelmente os números de sócios-torcedores dos clubes brasileiros através de parceria com a iniciativa privada.

Com a instituição do Movimento por um Futebol Melhor, os sócios-torcedores de 37 equipes nacionais (outras estão próximas de aderir ao programa) passaram a ganhar descontos na compra de produtos das empresas participantes. A ideia teria ajudado na obtenção de 173.000 novos associados de times paulistas neste ano, o primeiro de funcionamento. A intenção é dobrar o alcance em 2014, aproveitando também a temporada de Copa do Mundo no Brasil.

“Ainda estamos sonhando, mas certamente isso tem tudo para virar realidade”, confiou Pedro Paulo Moraes, gerente de marketing esportivo da Ambev. A empresa calcula que, com a maior adesão de torcedores ao Movimento por um Futebol Melhor, oferecerá um lucro extra de R$ 50 milhões por ano aos clubes de São Paulo.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Bar da capital paulista ficou lotado para o balanço do que alcançou o Movimento por um Futebol Melhor em 2013
Hoje, o time paulista com o maior número de sócios-torcedores é o Santos, com 53.898 adeptos do Sócio Rei. Presente no encontro do Movimento por um Futebol Melhor na Vila Madalena, o gerente de marketing santista Fernando Montanha se orgulhou do número e garantiu que o clube tem feito a sua parte para seguir na dianteira. Recentemente, o departamento dele concluiu um mapeamento de regiões distantes da Baixada Santista que reúnem um grande número de fãs do time. Eles serão o público-alvo do programa no próximo ano.

Atrás do Santos no ranking de sócios-torcedores, entre os clubes paulistas, aparecem o Corinthians com o seu Fiel Torcedor (43.962), o Palmeiras com o Avanti (36.899) e o São Paulo (19.835). Surpreendentemente, o modesto Grêmio Osasco angariou uma boa quantidade de associados (9.937) e está bem colocado na relação.

Os números dos times de São Paulo, no entanto, ainda não são considerados tão expressivos pelo Movimento por um Futebol Melhor. Principalmente se comparados com o que já atingiram os líderes brasileiros no quesito, os gaúchos Internacional (111.069) e Grêmio (74.440). Segundo Pedro Paulo Moraes, da Ambev, o “desafio” de os paulistas ultrapassarem a dupla de rivais do Rio Grande do Sul já foi aceito.

Com um representante no bar da Vila Madalena, o Palmeiras corroborou com as palavras do executivo da cervejaria. O diretor de marketing Marcelo Giannubilo lembrou que a sua diretoria assumiu o clube com pouco mais de 8.000 sócios-torcedores e está disposta a chegar aos 100.000 em 2014, temporada do centenário. “Espero que todo o mundo consiga aumentar os seus números, mas que o Palmeiras melhore um pouco mais”, sorriu, ao falar em público. Pouco depois, quando já havia voltado a degustar o chope do local, ele rejeitou o espaço para divulgação ao se negar a conceder entrevistas.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade