Futebol/Copa São Paulo de Juniores - ( )

Pupilo de Telê, Menta prega ofensividade no time sub-20 do São Paulo

Vítor Dalseno, especial para a GE.Net Cotia (SP)

Zagueiro do São Paulo durante a década de 90, o técnico Menta assumiu o comando da equipe sub-20 do Tricolor no lugar de Sérgio Baresi, que comandará um projeto de intercâmbio entre o time do Morumbi e um clube chinês. Apesar de não ter atuado muitas vezes sob o comando de Telê Santana, o treinador admite sua veneração ao técnico que conduziu o São Paulo à conquista do bicampeonato mundial (em 1992 e 1993).

“Aprendi muito com ele no dia a dia. É um mestre, que entendia muito de futebol, que gostava do time jogando ofensivamente, com muita velocidade. Tudo isso a gente absorve e tenta trazer para o trabalho. O Telê é e sempre será um norteador para muitas pessoas”, disse o treinador durante o treinamento da equipe sub-20 nesta quarta-feira, no CT de Cotia.

Durante o coletivo, o que se observou foi um time que troca muitos passes, utiliza as laterais para criar jogadas e prima pela velocidade.

“A cultura do São Paulo é ofensiva, sempre em busca do gol. Temos que colocar esse entendimento na cabeça dos atletas, para que eles sejam jogadores agudos, que busquem realizar o que o torcedor quer ver: um time bem ofensivo, com características de ataque fulminantes”, afirmou Menta, que, por ter sido técnico das categorias sub-15 e sub-17 do São Paulo, já trabalhou com a maioria dos jogadores que disputarão a Copinha.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Técnico do sub-20, Menta disse que jogadores que disputarão a Copinha pelo São Paulo são especiais
Do elenco, fazem parte cinco atletas que foram convocados pela Seleção Brasileira para a disputa do último Mundial sub-17, entre outubro e novembro deste ano: o lateral direito Auro, o zagueiro Lucas Silva (alçado precocemente ao profissional em 2013, sob comando de Ney Franco), o volante Gustavo Hebling, o meia Gabriel Boschilia e o atacante Joanderson.

“Nós temos vários jogadores nessa condição (de subir para o profissional). Mas vai depender muito do momento, do aprendizado, do que eles conseguem apresentar. E também vai depender muito do que o profissional necessite. Muitas vezes aparecem jogadores com qualidade, mas que não são necessários no profissional”, declarou Menta, já sabendo que Muricy aproveitará ao menos três atletas na equipe principal após a Copa São Paulo.

Para o treinador sub-20, a conquista do título na mais tradicional competição da base brasileira não é fundamental. “O título pelo título não é muito interessante. O interessante é que o jogador tenha qualidade, que a equipe aprenda a jogar de forma coletiva. A consequência de um bom trabalho é o título”.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade