Futebol/Copa Sul-americana - ( )

Revelado no Guarani, Renato lamenta ter de torcer contra a Ponte

Bruno Grossi* e William Correia São Paulo (SP)

Embora tenha sido revelado nas categorias de base do Guarani e dependa da vitória do Lanús sobre a Ponte Preta na Copa Sul-americana para levar o Botafogo à Copa Libertadores da América, Renato não está feliz em ter de secar a Macaca. Isso porque o volante do Glorioso afirma ter muitos amigos no time campineiro.

“A nossa torcida tem que ser contra eles mesmo, infelizmente é assim. A regra é essa e dependemos disso. É triste porque temos companheiros e amigos lá, mas como o regulamento é esse e se eles perderem a gente entra, temos que torcer contra mesmo”, afirmou o jogador, que participou, na última terça-feira, de partida beneficente promovida pelo Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (Graacc) no Pacaembu.

O meio campista de 34 anos defendeu o Bugre de 1996 a 2000, quando se transferiu para o Santos, e pela rivalidade entre as equipes de Campinas seria, na teoria, um dos ‘secadores’ mais entusiastas do time de General Severiano. Mas se a origem bugrina e a necessidade botafoguense parecem não ser suficientes para Renato torcer contra a Ponte Preta, o goleiro Jefferson não tem a menor dúvida.

O arqueiro alvinegro promete total apoio ao Lanús na decisão que será disputada no estádio de La Fortaleza nesta quarta, às 21h50 (de Brasília). A intenção é coroar a boa temporada, encerrada com vitória por 3 a 0 sobre o Criciúma no último domingo no Maracanã.

“Estamos com um pé na Libertadores neste momento. E depois do jogo de quarta-feira contar a Ponte esperamos estar com dois pés lá. Vou assistir ao jogo todo, vou ficar ligadão. Não vou nem torcer contra a Ponte. Vai ser a favor do Lanús mesmo”, sentenciou Jefferson, durante a gravação do Troféu Mesa Redonda no prédio da Fundação Cásper Líbero.

*especial para GE.net

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade