Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Roberto Dinamite sofre pressão de todos os lados na presidência do Vasco

Gazeta Press Rio de Janeiro (SP)

O presidente Roberto Dinamite está passando pelo seu pior momento à frente do Vasco. Se em 2008 a culpa pelo rebaixamento poderia ser dividida com o ex-presidente Eurico Miranda, já que ele assumiu o clube cruzmaltino no meio da competição, desta vez o ex-jogador vai carregar a responsabilidade pela queda sozinho. Isso porque se encontra cada vez mais isolado em São Januário e a pressão contra ele aumentará consideravelmente nesta semana. Até mesmo alguns dos que apoiam a sua gestão ficaram insatisfeitos com o comportamento do dirigente quanto ao tumulto na Arena Joinville, no último domingo, durante a goleada por 5 a 1 sofrida para o Atlético-PR.

Na visão de alguns conselheiros do clube, Roberto Dinamite não deveria ter aceitado reiniciar a partida contra o Atlético-PR após a interrupção por conta da violência dos torcedores das duas equipes. A ausência de policiamento no interior do estádio foi alvo de críticas até mesmo de aliados. Se os "amigos" reclamam, os opositores, então, soltam o verbo. Caso de Eurico Miranda, que chegou a falar em dar queixa contra Dinamite.

“A minha vontade, depois da entrevista do Dinamite, é ir na delegacia e prestar uma queixa por conta de tudo o que ele vem fazendo contra o Vasco. Era uma tragédia anunciada. É uma ousadia ele dizer que já está planejando 2014. Ele não podia entrar para jogar em um estádio que não tinha segurança e nem ambulâncias. Mesmo avisado disso tudo foi jogar”, disparou o ex-presidente em entrevista à Rádio Tupi.

Nos bastidores de São Januário, a oposição já trabalha para afastar Roberto Dinamite. Dessa vez os torcedores dificilmente se oporiam. Na noite de domingo, os muros da sede foram pichados com palavras de ordem contra o dirigente. Dentre as frases, uma expressava o sentimento dos torcedores: “Dinamite, você manchou sua história no Vasco”.

Outra posição que aumentou a crítica a Dinamite foi o fato de o dirigente ter se negado a dar entrevistas após o jogo, se limitando a fazer um pronunciamento. O torcedor do Vasco não sabe o que esperar para 2014 além da certeza de que disputará a Série B do Brasileiro. O diretor executivo Ricardo Gomes conversou rapidamente com jornalistas na saída da Arena Joinville e afirmou não ser possível ainda planejar a próxima temporada.

“Vamos sentir esse desgaste da queda, ela vai machucar muito ainda. É um momento muito triste”, afirmou o dirigente, que se limitou a praticamente repetir as palavras usadas por Roberto Dinamite. “Nossa obrigação é trabalhar para recuperar a grandeza do Vasco”.

Ricardo Gomes disse ter ainda apenas ideias para o ano que vem. O planejamento deve se firmar em reunião nos próximos dias, quando ficará definido se Adilson Batista continua como técnico do clube na segunda divisão nacional, assim como a montagem do elenco.

“Vamos conversar sobre tudo na terça-feira”, limitou-se a dizer o dirigente, apressando-se em caminhar para o ônibus com os jogadores, que embarcaram sem dar entrevistas.

Antes, ao lado de Roberto Dinamite, Ricardo Gomes ouviu o presidente dar um curto pronunciamento no qual somente lamentou não somente o rebaixamento, mas também a briga entre torcedores dos dois times nas arquibancadas. O elenco agora entra em férias e se reapresenta no dia 6 de janeiro.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade