Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Sem R$ 16 mi, Brunoro acha novo empréstimo de Leandro mais provável

São Paulo (SP)

A reunião com o Grêmio nessa segunda-feira, em Porto Alegre, realmente mudou o panorama das negociações do Palmeiras para manter Leandro. Os gaúchos avisaram que não aceitarão menos do que 5 milhões de euros (cerca de R$ 16 milhões) para ceder o atacante em definitivo e a aposta do Verdão, agora, é em retomar um acordo salarial para prorrogar seu empréstimo por mais um ano.

“Eu diria que é mais provável que façamos um novo vínculo por empréstimo”, admitiu o diretor executivo José Carlos Brunoro, representante do Palmeiras no encontro no Rio Grande do Sul, à rádio Bandeirantes. O dirigente sabe que é melhor renovar o empréstimo do que entrar em um leilão que envolveria até equipes europeias.

No fim da semana passada, o clube encontrou empresários dispostos a ajudar na contratação em definitivo do jogador e, com o dinheiro economizado, pretendia oferecer um salário maior ao seu artilheiro em 2013. Mas o Grêmio, que tem contrato com Leandro até 2016, fez jogo duro, lembrando que o atleta, no Verdão, se valorizou até chegando à Seleção Brasileira.

O Palmeiras tem o direito garantido em contrato de renovar o empréstimo por mais um ano, unilateralmente. E tem que retomar o que foi um entrave até agora: tentar um acordo salarial com um jogador que exige cerca de 300% de aumento. “Para bater o martelo, falta o acerto salarial com os empresários do jogador. Mas estamos caminhando muito bem, estou otimista”, disse Brunoro.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Diretor prefere renovar o empréstimo do jogador do que correr o risco de participar de leilão com times europeus
A sensação de frustração com a pedida de R$ 16 milhões, contudo, é clara, apesar de ser esse o valor estipulado em contrato. “Gostaria que o Palmeiras tivesse recursos para comprar o jogador, que certamente seria uma grande atração”, lamentou Brunoro.

A confiança no acerto com Leandro, porém, é grande. Tanto que o clube não fez mais do que sondagens a Diogo, atacante que fica sem contrato com a Portuguesa na próxima terça-feira, e não pretende tentar fazer com que o centroavante Alecsandro rescinda seu vínculo com o Atlético-MG, já abrindo mão do jogador.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade