Futebol - ( )

Sem "sexta à noite", Tite curte reconhecimento na despedida

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Tite gostaria de permanecer no Corinthians, mas a decisão da diretoria de trocá-lo por Mano Menezes lhe proporcionou um adeus bonito. Se não vai dar continuidade ao trabalho como queria, o gaúcho de Caxias do Sul tem aproveitado o lado bom da coisa. Como fez ao se casar com Rosmari.

“Eu queria casar e continuar saindo na sexta à noite, mas minha mulher não deixou. É uma coisa ou outra”, brincou o treinador. “Tudo na vida tem dois lados, a gente não consegue só ter o lado bom. Uma etapa terminou, dói de alguma forma, é ruim. Por outro lado, tem o lado do reconhecimento, a forma que foi.”

As homenagens têm sido diárias. São faixas no CT do Parque Ecológico, mensagens eletrônicas entupindo a caixa eletrônica de Tite, presentes, placas. A manifestação maior aconteceu no último final de semana, no empate por 0 a 0 com o Internacional, e foi mais uma a mexer com ele.

Divulgação/Agência Corinthians
Tite reverencia a Fiel, grata por todas as alegrias que viveu com ele (foto: Daniel Augusto Jr.)
O técnico – assim como o lateral direito Alessandro, que está se aposentando – teve o nome gritado antes, durante e após a partida. Nem o resultado decepcionante, muito comum na temporada, fez a torcida adotar um tom crítico no jogo que marcou a despedida do comandante no Pacaembu.

“Nem sei se teve jogo... Eu não estava enxergando o jogo. Nem o torcedor. Era ‘Alessandro’ toda hora, ‘Tite’ toda hora”, afirmou o treinador, extremamente orgulhoso pelo reconhecimento após um período de críticas duríssimas em 2011, resultantes da eliminação na fase prévia da Copa Libertadores.

De lá para cá, o Corinthians conquistou tudo, do Paulista ao Mundial, e a Fiel soube agradecer. “Até quando a gente não conquistou, como aconteceu contra o Boca neste ano, o reconhecimento foi fora do padrão. Foi extraordinário, realmente fora do padrão”, vibrou Tite.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade