Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Tite nega que amizade com o elenco tenha motivado a sua saída

São Paulo (SP)

O técnico Tite voltou a se emocionar durante a sua participação no programa Mesa Redonda de domingo, da TV Gazeta, porém também falou com seriedade sobre os motivos para não seguir no Corinthians em 2014. Uma das razões seria a amizade exagerada com o elenco, que prejudicaria as suas decisões.

“Não! Não! Não!”, exclamou Tite, para rebater veementemente a teoria. “Poderia ter acontecido isso quando fomos campeões brasileiros. Não aconteceu. Na Libertadores, então? Já que ganhou, ficaria amigo do time. Mas ganhamos o Mundial depois. Aí, como campeão mundial, não teria jeito. Só que vencemos o Campeonato Paulista, que é muito difícil, e a Recopa. Portanto, não vamos ser oportunistas”, disse.

Apesar de se apegar às suas conquistas, Tite demonstrou em diversos momentos de que gostaria de ter renovado o seu contrato por mais uma temporada. “Era um objetivo meu. Queria quebrar os três anos que coloquei como limite para um técnico no Brasil. Esse monstro acabou me mordendo depois. Só que não existem culpados, anjinhos ou demônios. Aconteceu, simplesmente”, comentou.

Ao anunciar a saída de Tite, o presidente Mário Gobbi havia declarado que a decisão fora consensual. O treinador tem tentado endossar o discurso, apesar de saber que a queda de rendimento do Corinthians no segundo semestre de 2013 – com sucessivos empates e ineficiente no ataque – foram determinantes para a troca por Mano Menezes.

Marcelo Ferrelli/Gazeta Press
Tite garantiu que continuava rígido com os jogadores com quem conquistou tudo pelo Corinthians
Para justificar os problemas que o elenco campeão mundial enfrenta, Tite mencionou outra vez as lesões de jogadores importantes, como o centroavante Paolo Guerrero e o meia Renato Augusto, e a transferência de Paulinho para o Tottenham, da Inglaterra.

De qualquer forma, o técnico lembrou que a sua postura sempre foi de evitar atritos com superiores. “Respeito que o clube tenha objetivos, estando acima de mim”, avisou Tite. “Sei da posição que ocupo hierarquicamente. Não gosto e não quero me envolver em certas coisas. Sou técnico e trabalho no campo, falando o que deve ser dito aos atletas. Isso me fascina.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade