Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Tite se despede do Corinthians com derrota para o último colocado

São Lourenço da Mata (PE)

Tite se despediu do Corinthians com um péssimo resultado. Na noite deste sábado, na Arena Pernambuco, o técnico não conseguiu coroar a sua vitória trajetória no Parque São Jorge com um triunfo sobre o último colocado do Campeonato Brasileiro. Seu time perdeu por 1 a 0 para o Náutico, que chegou ao gol através do meio-campista Derley no segundo tempo e ainda teve o goleiro Ricardo Berna expulso.

Agora à espera da confirmação de Mano Menezes como sucessor de Tite, o Corinthians encerrou a sua campanha na competição nacional com 50 pontos ganhos, sendo 11 vitórias, 17 empates e dez derrotas. Já o Náutico, que deverá se planejar para disputar a Série B em 2014, deu adeus à primeira divisão com 20 pontos e um total de cinco triunfos, cinco igualdades (uma delas diante dos corintianos) e 28 resultados negativos.

Divulgação/Agência Corinthians
Pato voltou a ser ineficiente, assim como seus companheiros, e não proporcionou uma boa despedida a Tite
O jogo – A Arena Pernambuco poderia até não estar lotada, como havia ocorrido com o Pacaembu no último fim de semana, mas o técnico Tite voltou a ser reverenciado pelos torcedores do Corinthians. Assim que pisou no campo, foi recebido com gritos entusiasmados do público, que se avolumaram na hora de tirar uma fotografia com o elenco. “Fica difícil me concentrar no jogo desse jeito”, ele admitiu, emocionado.

Alguns jogadores do Corinthians tinham motivos para manter o foco, apesar de o encontro com o lanterna Náutico não ter valor para nenhuma das equipes na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. O zagueiro Felipe, por exemplo, estava tão disposto a mostrar serviço para Mano Menezes (o substituto de Tite) que machucou o ex-palmeirense Tiago Real logo no início da partida.

O técnico Marcelo Martelotte foi obrigado a trocar Tiago pelo jovem Túlio – outro que logo acabou atingido pelo empolgado Felipe. Só não houve alteração no desempenho do Náutico, que estava em campo “para deixar uma impressão diferente”, de acordo com o seu comandante. O mau futebol era o mesmo de sempre, com pouca criatividade ofensiva e desorganização defensiva.

O Corinthians tentou tirar proveito das dificuldades técnicas do Náutico para chegar ao gol. Contestado neste final de temporada, Romarinho era quem mais se mexia no ataque alvinegro, buscando tabelas com Rodriguinho (mais um reserva que ganhou a chance de provar ser útil) e arriscando más finalizações de todos os lados. O que ainda parecia insuficiente para vazar o goleiro Ricardo Berna.

Aos 22 minutos, o Corinthians articulou a sua melhor oportunidade de gol no primeiro tempo. Edenílson foi preciso no cruzamento da direita, encontrando Alexandre Pato livre de marcação dentro da área. O criticado astro cabeceou para fora, mas levantou o público corintiano em São Lourenço da Mata.

O Corinthians passou a pressionar ainda mais no restante da etapa inicial, com seguidas cobranças de falta de Rodriguinho, porém sem contundência. Sobrava empenho para jogadores como o capitão Alessandro, em sua última partida como profissional, contudo as alternativas ofensivas propostas pela equipe não diferiam tanto daquelas do último colocado do Brasileiro.

No segundo tempo, o Corinthians demonstrou que a sua defesa também não merecia muitos elogios. Logo aos cinco minutos, Túlio só não incomodou mais a bagunçada marcação visitante em um rápido contra-ataque do Náutico porque fez uma conclusão péssima, de fora da área. A bola saiu pela lateral do campo, de tão torta, e fez muitos torcedores da casa se revoltarem.

Na jogada seguinte, no entanto, a torcida do Náutico pôde se manifestar para comemorar. Diego Morales fez uma boa jogada pela direita e cruzou rasteiro, com veneno. Nenhum jogador do Corinthians conseguiu fazer o desvio. Derley, sim. O meio-campista da equipe alvirrubra se esticou para acertar a rede e inaugurar o marcador na Arena Pernambuco.

Arte GE.Net
A torcida do Corinthians passou a gritar ainda mais alto depois do gol Náutico. Tite não se satisfez só com incentivo vindo das arquibancadas. Aos 13 minutos, apostou em Ibson no lugar de Ralf. Como o time não melhorou com o meio-campista, que continuou a justificar as recorrentes vaias do público, Diego Macedo também entrou, na vaga de Danilo. No Náutico, Martelotte se enervou com Túlio e colocou Dadá em campo.

A sorte do Corinthians começou a mudar quando o goleiro Ricardo Berna também perdeu a paciência. Advertido com um cartão amarelo por demorar a repor a bola em jogo, ele aplaudiu ironicamente o árbitro Elmo Resende Alves Cunha e acabou expulso, obrigando Martelotte a recorrer a Giderão no lugar de Diego Morales. Tite se animou e optou por Chen Zizao, ovacionado, no lugar de Edenílson.

A entrada do chinês apenas serviu para atrair o interesse de quem estava presente na Arena Pernambuco. Apesar de muita movimentação ofensiva, o Corinthians deu adeus ao Campeonato Brasileiro – e a Tite – sem ter marcado nem um gol sequer no lanterna, dono da pior defesa, vazada 79 vezes. A ineficiência do ataque alvinegro em 2013 foi justamente um dos motivos para a troca do técnico campeão mundial por Mano Menezes.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade