Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Título paulista e vaga na Libertadores são meta do Verdão no centenário

São Paulo (SP)

O presidente Paulo Nobre já avisou ao Conselho de Orientação e Fiscalização do clube que o Palmeiras não deve ter um grande time no ano que vem, e os objetivos para o ano do centenário do clube mais vezes campeão nacional na história do futebol brasileiro não são tão ousados. O título paulista e uma vaga na Libertadores são a meta.

Enquanto discutia a renovação de seu contrato, Gilson Kleina avisou que só seria possível sonhar mais alto com a chegada de grandes reforços. Por enquanto, o único sonho por um astro é em relação a Ronaldinho Gaúcho, e a diretoria já admite não ter dinheiro para competir com o Atlético-MG. Um retrato de que o “sangue na veia” tão citado por Nobre será a esperança de novo.

Fernando Prass, mais experiente do elenco, já disse que a meta é ter pelo menos um título em 2014, e a opção de segurança é o Campeonato Paulista. A conquista estadual será suficiente e tida como possível com a manutenção da base campeã da Série B do Brasileiro com reforços apontados como “pontuais”.

Para o resto do ano, dirigentes e comissão técnica sabem que será necessário uma força de superação para chegar à Libertadores. Independentemente sendo através do título da Copa do Brasil ou pelo Campeonato Brasileiro, ficando entre os três primeiros colocados, o objetivo é retornar ao principal torneio da América do Sul.

É o que o palmeirense pode esperar da equipe. Mesmo com o grande risco de perder titulares, a diretoria fala em responsabilidade administrativa para conter os gastos e voltar a apostar na sintonia entre Kleina e seus atletas para os torcedores fazerem festas com um time dentro dos limites financeiros do clube que será centenário em agosto.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Com responsabilidade administrativa para justificar gastos contidos, Nobre voltará a apostar no "sangue na veia"

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade