Futebol/Copa Sul-Americana - ( - Atualizado )

Torcida da Ponte lota o Pacaembu e exibe mosaico em empate suado

Bruno Grossi, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Na primeira final da história do clube, a torcida da Ponte Preta resolveu corresponder à altura do empenho da equipe e compareceu em bom número ao Pacaembu nesta quarta-feira. Para deixar a festa pela chegada à decisão da Copa Sul-americana completa, os torcedores da Macaca prepararam um mosaico no setor laranja para exibir durante o confronto com o Lanús, que terminou empatado em 1 a 1.

Há registros de que alguns ponte-pretanos chegaram ao estádio paulistano por volta das 11 horas da manhã. A poucas horas do início do primeiro jogo da final, o Pacaembu já recebia ótimo público. Os setores que ficam nas laterais do gramado foram praticamente tomados pelos campineiros, bem como o tobogã. Aos poucos, a massa alvinegra tomou conta de todos os espaços e o público registrado foi de 28.979 para renda de mais de R$ 500 mil.

O setor de entrada do Pacaembu era o menos povoado, enquanto o espaço destinado aos torcedores do Lanús também não preencheram toda a área destinada a eles. A cada anúncio do sistema de som do estádio, a torcida do time brasileiro fazia muita festa com o hino do clube e, principalmente, quando o locutor entoava: “Ponte Preta, hoje a festa é sua!”

AFP
A torcida da Ponte Preta, com cerca de 30 mil presentes, fez uma bonita festa no Pacaembu
Antes do início da decisão, o volante Baraka foi homenageado pela diretoria por completar 100 partidas com a camisa alvinegra. O marcador, que chegou a ser comparado com Dunga por Jorginho e admitiu se inspirar no capitão do Tetra, recebeu placa no centro do gramado e foi ovacionado pela torcida. A festa só foi interrompida quando os argentinos subiram ao campo de jogo sob sonora vaia.

Quando a Macaca subiu ao gramado de vez para estrear em decisões internacionais embalada por show pirotécnico, os torcedores que estavam no setor laranja levantaram pedaços de pano em preto e branco e formaram a sigla AAAPP (Associação Atlética Ponte Preta), além de duas faixas transversais para representar o uniforme da equipe.

Durante todo o primeiro tempo, os ponte-pretanos não pouparam a voz e empurraram a equipe nos lances de ataque. Na volta do intervalo, porém, o clima de tensão tomou conta das arquibancadas. Para piorar, Paolo Goltz cobrou falta com perfeição e calou de vez os campineiros. Na mesma moeda, a festa foi restaurada no Pacaembu e Fellipe Bastos deu sobrevida à Macaca para decidir o título na próxima semana na Argentina.

A tocirda foi show de bola, ficamos felizzes com os torcedores. Queríamos que eles fizessem daqui do Pacaembu a nossa casa e agora queremos ser recebidos com muita festa em Campinas", elogiou o técnico Jorginho.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade