Futebol/Copa do Mundo de 2014 - ( - Atualizado )

Van Gaal exalta Seedorf e descarta Holanda: “Não temos grandes chances”

Costa do Sauípe (BA)

Atual vice-campeã mundial, tendo sido responsável pela eliminação do Brasil nas quartas de final em 2010, e dona de jogadores como Robin Van Persie, Arjen Robben e Wesley Sneijder. Tais predicativos tornam a seleção holandesa uma das favoritas à Copa do Mundo de 2014, no Brasil. Não para o próprio treinador da Laranja Mecânica. Em entrevista ao jornal O Globo, Louis Van Gaal citou o retrospecto e as estatísticas para admitir que a sua equipe não deverá erguer a taça Fifa em julho do ano que vem.

“Nós não temos grandes chances, eu acho. Quando você olha para as estatísticas, nenhum país europeu ganhou uma Copa do Mundo na América do Sul. As estatísticas não mentem”, declarou Van Gaal. De fato, em todas as quatro oportunidades nas quais a América do Sul sediou o principal torneio de futebol do planeta, foram seleções do próprio continente que venceram. Em 1930, no Uruguai, a Celeste ergueu a taça, assim como em 1950, no Brasil. Doze anos depois, no Chile, a Seleção Canarinho sagrou-se campeã, e, em 1978, a Argentina repetiu os uruguaios e levantou o caneco em casa.

Indo mais além, observa-se que, fora da Europa e África, os países do Velho Continente nunca foram campeões do mundo. Em 1970 e 1986, no México, deu Brasil e Argentina, respectivamente; nos Estados Unidos, em 1994, a equipe verde e amarela conquistou o tetra, para, oito anos depois, na Coreia do Sul e Japão, comemorar o penta. Os fatores climáticos fora da Europa, e principalmente na América do Sul, de acordo com Van Gaal, foram e serão determinantes para uma maior dificuldade dos europeus na Copa do Mundo.

AFP
O treinador da Holanda, Louis Van Gaal, adotou uma fala humilde e disse que não deverá ser campeão do mundo

“Fatores locais serão decisivos, como o clima, as distâncias das viagens, os horários das partidas. Se você joga a uma hora da tarde no Brasil, não é algo agradável para um país como a Holanda. Temos que ver o clima, se está frio, se está quente. Faz uma grande diferença. Isso afeta no mais importante, que é a recuperação dos jogadores entre uma partida e outra”, avaliou.

Por fim, Van Gaal não perdeu a oportunidade de elogiar o seu amigo e atual ídolo do futebol brasileiro, Clarence Seedorf. Questionado se o meia do Botafogo era o maior jogador da história da Holanda, o comandante foi enfático. “Você precisa ter um critério. No critério mundial, (Seedorf) é (o melhor da história). Quando você pergunta pelo jogador holandês com mais títulos, é ele. Mas Johann Cruyff teve mais impacto para o futebol holandês e para o mundo. Então, se você adotar esse critério (o impacto), Johann Cruyff é o melhor”, destacou.

“Como jogador, Seedorf foi o (holandês) que mais ganhou. Mais do que Cruyff. Em diferentes países. Então, talvez, Seedorf seja o melhor da história da Holanda. De todos os tempos. Na Holanda, todo mundo diz que é Johann Cruyff. Então, para chegar a uma resposta coerente, você sempre tem que apontar um critério”, finalizou Luis Van Gaal, que estará presente no sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2014, nesta sexta-feira, a partir das 14 horas (de Brasília), na Costa do Sauipe.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade