Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

'Vítima' de sua novidade, Nobre não promete reforço até o fim do ano

William Correia, Bruno Ceccon, Marcos Guedes e Tossiro Neto São Paulo (SP)

O Palmeiras conquistou seu objetivo no ano em 26 de outubro, quando garantiu o acesso à Série A do Brasileiro, mas, desde então, a única novidade da diretoria foi a renovação com Gilson Kleina. Paulo Nobre tem sofrido com sua ideia de oferecer contrato por produtividade e não sabe se concluirá alguma contratação até o dia 31.

“Não colocamos prazo para os acontecimentos porque, depois, viramos reféns do próprio prazo. Eu gostaria muito de ter alguma novidade até o fim do ano, mas isso não é nenhuma promessa. A única promessa que faço é de muito trabalho”, disse o presidente durante a gravação do Troféu Mesa Redonda, na TV Gazeta.

O técnico aceitou, mas mesmo atletas que negociam para prorrogar vínculos que acabam neste mês não têm aprovado com tanta facilidade a ideia do Verdão. Nobre oferece salários menores, mas com prêmios maiores do que o comum em caso de metas atingidas em 2014, ano do centenário do clube.

“Essa é uma filosofia que queremos implantar com todos que trabalham no futebol. Em toda quebra de paradigma, você encontra uma dificuldade natural. Mas o importante é ter um diálogo muito transparente com seus profissionais para eles entenderem a filosofia e entender que a ideia não é diminuir o salário de ninguém”, ainda tenta se explicar o dirigente.

Nobre, contudo, tenta minimizar quanto é ‘vítima’ de sua estratégia e diz encontrar os mesmos obstáculos de quando era vice-presidente do clube, entre 2007 e 2008. “Eu já esperava que fosse difícil, como é todo final de ano, com o mercado aquecido, as equipes buscando reforços, trocas. É normal, eu já esperava isso. Nada é fácil.”

A única garantia do presidente é de qualidade entre as novas caras que vestirão a camisa palmeirense no ano que vem. O nível buscado, porém, é o mesmo do time que conquistou a segunda divisão em 2013. “Queremos reposição à altura de quem está na titularidade”, discursou Nobre.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Presidente do Verdão oferece salários menores e prêmios maiores e, até agora, só conseguiu renovar com Kleina

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade