Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

William e Marquinhos são apresentados no Bahia

Salvador (BA)

A diretoria do Bahia anunciou ao longo dessa semana duas importantes contratações para a equipe na temporada de 2014. Nesta sexta-feira, no Fazendão, William, o novo diretor de futebol, e Marquinhos Santos, o novo treinador, foram apresentados no auditório do CT lotado e comentaram o que esperam para o próximo ano.

"Enfrentei [o Bahia] duas vezes neste ano e já sei das carências e das virtudes que possui. Nós já estamos trabalhando arduamente de olho nas peças com as características que precisamos. Em 2014, buscaremos ter uma equipe altamente competitiva em força e velocidade, que são as valências que acabam sendo determinantes nos jogos da atualidade", afirmou Marquinhos.

Depois de defender o Coritiba, Marquinhos Santos chega ao Esquadrão de Aço para substituir Cristóvão Borges, demitido logo após o término do Campeonato Brasileiro. Feliz com a nova casa, o também comentou o que espera mudar na equipe.

"Minha filosofia de jogo passa pelo jogo ofensivo, por jogar pra frente, até com um só volante. Vou levá-la para dentro de campo. Faremos diferente. E, para fazer diferente, é preciso ter união", apontou.

Divulgação/E.C. Bahia
O auditório do Fazendão ficou lotado para a aprentação de Marquinhos e William

Já William, que teve sua chegada anunciada dois dias antes de Marquinhos, garantiu que ele e a comissão técnica já estão estudando alguns nomes para serem contratados, mas cobrou cautela nas negociações.

"Mas óbvio que a mentalidade é sempre monitorar o mercado, além de olhar a base. A gente vai estar atento a tudo e também ao mercado sul-americano, ainda mais com essa mudança agora que liberou cinco jogadores estrangeiros (antes eram três). Mas tem que ter critério. Tem a dificuldade do idioma e da adaptação à cidade e ao jeito de atuar de algumas posições no Brasil. Não é porque pode contar com cinco que vai contratar um bando. Marquinhos andou monitorando alguns jogadores, tem alguns nomes, e isso nos facilitou. A gente não vai contratar por DVD. Isso é ultrapassado”, garantiu o dirigente.

O ex-zagueiro já havia recebido uma proposta para trabalhar no Tricolor em maio, mas a recusou. Na apresentação, ele taproveitou para comentar quais foram os principais motivos que o fizeram mudar de ideia.

“Tive uma reunião com a diretoria anterior e não vi afinidades tão grandes de ideias e de forma de ver e gerir o futebol. Já com essa gestão atual tenho ideais muito parecidas. Isso faz com que, mesmo nas discussões que a gente já teve, sempre surjam contrapontos pelo bem do Bahia", concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade