Atletismo/Bastidores - ( )

Falta de patrocínio faz Maurren diminuir ritmo no começo do ano

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

Eliminada de forma precoce nos Jogos Olímpicos de Londres-2012, Maurren Maggi manifestou o sonho disputar a edição do Rio de Janeiro-2016. A falta de patrocínio, no entanto, ameaça os planos da atleta, obrigada a diminuir o ritmo de treinos no começo da temporada.

“A Maurren participou da primeira parte do período de preparação, mas ainda não conseguimos acertar as coisas. Por enquanto, ela está precisando fazer algumas outras atividades para sobreviver, como participar de eventos e coisas do tipo. Por isso, não vem treinando regularmente”, disse o técnico Nélio Moura à Gazeta Esportiva.

Treinada por Moura desde sua adolescência, Maurren procura seguir perto da equipe dirigida pelo mentor, formada majoritariamente por novos talentos. Há duas semanas, por exemplo, ela acompanhou o grupo durante o período de atividades realizado no Rio de Janeiro.

“A Maurren continua perto de nós e está ajudando em várias coisas, principalmente com os mais novos. Ela está bem ocupada e tudo depende de conseguirmos organizar a vida dela. Ainda estamos adiando a decisão de treinar realmente para competir ou não. É claro que essa é uma decisão dela”, explicou Nélio Moura.

Campeã olímpica nos Jogos de Pequim-2008, Maurren teve condições de trabalho confortáveis até Londres-2012. No começo do ciclo do Rio de Janeiro-2016, no entanto, a situação é desanimadora do ponto de vista de apoios e patrocínios para a atleta de 37 anos.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
A falta de patrocinadores no ciclo para o Rio de Janeiro-2016 pode abreviar a carreira da saltadora Maurren Maggi
De acordo com Nélio Moura, a campeã olímpica não tem data para estrear na temporada. O experiente treinador, inclusive, já vê a pupila em um momento de transição para uma função a ser exercida após o final de sua longa trajetória dentro das pistas de atletismo.

Maurren Maggi conquistou o ouro nas edições de Winnipeg-1999, Rio de Janeiro-2007 e Guadalajara-2011 dos Jogos Pan-americanos. Como a atleta tem carinho pela competição, Nélio Moura não descarta a possibilidade de o evento de Toronto-2005 funcionar como chamariz.

“Eu acho que o Pan-americano é um fator importante, porque ela realmente gosta dessa competição, mas não sei. Vamos precisar estudar o que é possível conseguir de recursos para que a Maurren possa se manter treinando como sempre fez”, declarou o treinador.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade