Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Aloísio assina com chineses e se aproxima de despedida no Tricolor

São Pauo (SP)

Dada como certa desde o final do ano passado, a venda de Aloísio para o futebol chinês foi concretizada na manhã desta quarta-feira. O atacante assinou contrato com o Shandong Luneng, que também acertou com o técnico Cuca, e agora só espera a rescisão com o São Paulo para embarcar para a China.

O Shandong desembolsou 5 milhões de euros (cerca de R$ 16 milhões) para contar com o jogador em 2014. Inicialmente, o Tricolor ficaria com 20% desta quantia, mas o presidente Juvenal Juvêncio adquiriu mais 30% dos direitos do atacante junto ao empresário Eduardo Uram e agora receberá metade do valor investido pelos chineses

A passagem de Aloísio no Morumbi durou uma temporada. O centroavante começou como reserva com Ney Franco, mas logo conquistou espaço na ponta direita, posição antes ocupada por Lucas. O camisa 19 ainda aproveitou o mau momento vivido por Luis Fabiano para se firmar como referência no ataque do time e se tornou ídolo da torcida.

Divulgação
Aloísio se reuniu com representantes do clube chinês na noite da última terça-feira
Depois de 22 gols marcados para terminar o ano como artilheiro da equipe, Aloísio passou a negociar com o Shandong e agora formará dupla com Vagner Love. Apesar do bom ambiente no São Paulo, onde virou protagonista de campanhas de marketing devido ao apelido de Boi Bandido e às voadoras nas comemorações, Aloísio resolveu aceitar a proposta irrecusável dos chineses.

Além de Aloísio, Vagner Love e Cuca, o Shandong Luneng contará com o fisioterapeuta Luiz Rosan em sua comissão técnica. O profissional, que marcou época no São Paulo, conciliará o cargo na China com o trabalho na Seleção Brasileira. O clube asiático também estaria interessado em contratar o meio campista Cícero, atualmente no Santos.

Confira o agradecimento de Aloísio em sua no Instagram:

Gostaria de agradecer todos os torcedores são-paulinos pelo carinho recebido em 2013. Desde que vesti a camisa do São Paulo pela primeira vez, senti que era um clube especial e que eu tinha a obrigação de dar o sangue por vocês dentro de campo. Jamais me esquecerei do que vivi durante esse tempo. Podem ter certeza que eu vou, mas um dia eu volto. Obrigado por tudo e até logo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade