Futebol/Campeonato Espanhol - ( - Atualizado )

Ancelotti rechaça pressão no Real: “Meu traseiro é a prova de terremotos”

Madri (Espanha)

Campeão nacional em equipes como Milan, Chelsea e Paris Saint-Germain, Carlo Ancelotti vive, na temporada 2013/14, uma situação nova em sua vida: a de comandar uma equipe espanhola. Apesar disto, o treinador, que neste sábado, diante do Bétis, pela Liga BBVA, pode alcançar a marca de 500 vitórias na carreira, negou que se sinta pressionado por estar à frente de um time do porto do Real Madrid.

Para isto, ele proferiu uma frase cercada de bom-humor. “Meu traseiro é a prova de terremotos, pois tenho experiência neste mundo”, disse, em entrevista ao jornal Financial Times. “Não fico muito deprimido quando o resultado não é bom, e não fico muito feliz quando é. Não sinto muita pressão sobre meus ombros porque adoro meu trabalho. A pressão sobre um técnico é algo normal”, acrescentou.

Ancelotti, que já soma 877 partidas como treinador, ainda revelou as dificuldades que encontrou quando chegou ao Paris Saint-Germain, há dois anos. Ele comandou a equipe parisiense na temporada 2012/13 e, com um elenco repleto de estrelas, conquistou o título francês e chegou às quartas de final da Liga dos Campeões da Europa, sendo eliminado pelo poderoso Barcelona somente nos gols anotados fora de casa.

AFP
O técnico também relatou que a torcida merengue é mais exigente que a dos outros clubes pelo qual passou

“O problema dos jogadores ingleses é que as vezes é difícil para eles entender que não têm que trabalhar 100% no treinamento. Há algumas sessões que não é importante trabalhar assim. Os franceses, ao contrário, não entendem por que têm que trabalhar 100% todos os dias. O PSG foi uma boa experiência, porque era a primeira vez que tinha que construir algo novo. É diferente de chegar ao Chelsea ou ao Real Madrid, onde já se tem uma boa organização de clube e equipe. O PSG tem que construir tudo por baixo”, disse.

Por fim, o treinador italiano comentou sobre o novo desafio de sua carreira: o Real Madrid. Para ele, a maior reponsabilidade de qualquer técnico que assuma a equipe merengue reside em fazer o time jogar bem. Mais do que erguer taças, a exigente torcida blanca está preocupada em ver o Real praticar um bom futebol.

“O objetivo aqui é jogar um futebol um pouco diferente, porque a cultura deste clube é fazer um futebol espetacular. Os torcedores aqui são exigentes. Não agrada o contra-ataque. Eles gostam de ver um time que tem o controle do jogo, a posse de bola. Estamos tentando seguir a história, a tradição de um clube”, decretou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade