Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Após conviver com crise, Roger prevê grande ano do São Paulo

Bruno Grossi, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Enquanto o São Paulo sofria no Campeonato Brasileiro para escapar da zona de rebaixamento, Roger Carvalho apenas assistia às dificuldades vividas pelos futuros companheiros. Integrado de vez ao elenco após se recuperar de lesão muscular, o zagueiro afirma ter sofrido com a má fase do time em 2013 e confia cegamente na qualidade do Tricolor para deixar a crise no passado definitivamente.

“Foi muito difícil para todos, o ano passado. Não joguei, mas convivi com a preocupação. Todo clube está sujeito a passar pelo que passamos, mesmo que tenha um elenco forte. O Fluminense era o atual campeão, tinha ganhado em 2010, não mudou muitas peças e mesmo assim sofreu”, justificou o beque, lembrando a campanha dos cariocas, que só não foram rebaixados devido à ação no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Roger sofreu do lado de fora em 2013 e agora espera poder ajudar dentro do gramado
Roger lembra que o São Paulo já mostrou que tem potencial para voos mais altos ainda na temporada passada, quando arrancou sob o comando de Muricy Ramalho e chegou a ser o melhor time paulista na Série A. Mesmo com apenas a chegada do lateral direito Luis Ricardo e da própria volta após lesão, o defensor tem total confiança em uma temporada de sucesso para os tricolores.

“Nós mostramos força na nossa arrancada e hoje todos estão motivados para fazer um grande ano. Nosso elenco é muito forte, peça por peça é qualificadíssimo e tem tudo para fazer grandes campanhas. Todos falam do ano passado, dos poucos reforços que a diretoria trouxe, mas acredito que estamos bem servidos em todas as posições e que teremos um ótimo resultado”, projetou.

A primeira chance de apagar as frustrações de 2013 é o Campeonato Paulista. Sem a Copa Libertadores da América e com jogos, teoricamente, mais simples na Copa do Brasil, o São Paulo poderá concentrar todas as forças no Estadual. Como Corinthians, Palmeiras e Santos também irão encarar este cenário, uma conquista seria ainda mais valorizada pelo clube e pela torcida.

“O fato de não ter Libertadores não alivia em nada. O Paulistão é o que temos para o primeiro semestre e entraremos com força total para fazer um grande campeonato e ficar com o titulo. É isso o que nos resta, então temos que agarrar com as duas mãos e fazer um grande trabalho”, ressaltou Roger, que deve estrear com a camisa são-paulina no dia 19 de janeiro contra o Bragantino, em Bragança Paulista.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade