Basquete/NBB - ( )

Armador estreia bem e quer manter tradição argentina no Palmeiras

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

O armador Maximiliano Stanic estreou de forma bem-sucedida com a camisa do Palmeiras/Meltex na noite de quinta-feira. Fundamental no triunfo por 87 a 84 sobre o Paschoalotto/Bauru pelo NBB, o jogador deseja manter a tradição de argentinos no basquete palestrino.

Ernesto “Finito” Gehrmann, Carlos Alberto “Gallego” Gonzalez e Gustavo Aguirre, todos com passagem pela seleção argentina, defenderam a camisa do Palmeiras nos anos 1970 e 1980, o que deixa o armador nascido em Buenos Aires animado em sua chegada ao clube.

“São jogadores que atuaram há muitos anos e com uma grande história no basquete argentino. Estão em nossa memória como grandes atletas. Sempre tenho a responsabilidade de representar a Argentina fora do meu país, mas a responsabilidade maior é defender as cores do Palmeiras. É um orgulho jogar aqui”, afirmou.

Stanic começou no banco de reservas diante do Bauru, mas entrou em quadra logo no primeiro quarto e, apesar da falta de ritmo, atuou durante 26 minutos. Experiente, o jogador de 35 anos orientou os companheiros, chamou as jogadas e fez até uma ponte aérea com o norte-americano Wiggins.

“Como armador, tenho que fazer o resto do time jogar. Arremesso quando necessário, mas sobretudo procuro organizar a equipe. Cada um tem o seu papel dentro do time, e esse é o meu”, afirmou o jogador argentino, usando um par de tênis nas cores verde e amarela.

Divulgação
Na estreia, argentino Maxi contou com apoio de parentes que passavam férias no litoral paulista. Foto: Léo Pinheiro
De volta à quadra após mais de um mês de inatividade, Stanic terminou com cinco pontos, dois rebotes e seis assistências. Nos segundos finais da partida, em um lance contestado pelo Bauru, ele e o pivô Átila dos Santos ganharam a posse de bola que proporcionou o arremesso certeiro de Guto no último segundo.

“Foi uma partida muito difícil. Como não atuava há 40 dias, senti a parte física em alguns momentos. Fui muito bem recebido pelo grupo e ganhamos de uma maneira emocionante. A torcida também estava incrível e nos apoiou nos momentos mais difíceis. Vou ficar com uma linda recordação desse jogo”, declarou.

Depois de defender clubes de Espanha, Itália e França ao longo da carreira, Maximiliano Stanic, com passagem pela seleção argentina - o armador também tem cidadania italiana -, estava no Obras Sanitárias antes de acertar com o Palmeiras e já atuou pelo Boca Juniors.

Acervo/Gazeta Press
Carioquinha, Ubiratan, Oscar e argentino Carlos Alberto "Gallego" Gonzalez defenderam o Palmeiras em 1976

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade